quarta-feira, 31 de agosto de 2016

DILMA CASSADA POR 61 A 20, MAS MANTENDO OS DIREITOS POLÍTICOS. ASSUME O TRAÌRA!

Por 61 votos a 20, Dilma Rousseff, reeleita presidente da República em 2014 com cerca de 54,5 milhões de votos, foi afastada em caráter definitivo pelo Senado, nesta quarta (31), num processo de impeachment por crime de responsabilidade fiscal com motivos controversos. A sentença pela perda do mandato foi lida às 14h13 pelo ministro Ricardo Lewandoski. O Senado, contudo, manteve os direitos políticos de Dilma. Isso significa que ela pode ocupar cargos públicos. Para fundamentar o impeachment, a oposição à presidente destituída alegou que pedaladas fiscais e decretos de créditos suplementares assinados entre 2014 e 2015 feriram a Lei de Responsabilidade Fiscal, acusação que a defesa de Dilma rechaçou com opinião de técnicos do próprio Congresso e do Ministério Público Federal, entre outros argumentos.

' CANALHA, CANALHA, CANALHA....' diz o senador Requião diante de um acanalhado Aécio!

Não pretendo, nesta histórica sessão, moderar a linguagem ou asfixiar o que penso. Não vou reprimir a indignação que me consome. Canalha! Canalha! Canalha! Assim Tancredo Neves apostrofou Moura Andrade que declarou vaga a Presidência, com Jango ainda em território nacional, consumando o golpe de 1964. Duvido que um só de nós esteja convencido de que a presidente Dilma deva ser impedida por ter cometido crimes. Não são as pedaladas ou a tal da irresponsabilidade fiscal que a excomungam. O próprio relator da peça acusatória praticou-as à larga. Só que lá em Minas não havia um providencial e desfrutável Eduardo Cunha e nem um centrão querendo sangue, salivando por sinecuras e pixulecos. A inocência do relator é a mesma de Moura Andrade declarando vaga a Presidência. Ah, as palavras de Tancredo coçam-me a garganta. Este Senado está prestes a repetir a ignomínia de março de 64. O que se pretende? Que daqui a alguns anos se declare nula esta sessão, com declaramos nula a sessão que tirou o mandato de Goulart e peçamos desculpas à filha e aos netos de Dilma? Tudo bem. Se mesmo sem culpa, esta Casa condenar a presidente, que cada um esteja consciente do que há de vir. Que ninguém, depois, alegue ignorância ou se diga trapaceado, porque as intenções do vice que quer ser titular são claras, solares.......

terça-feira, 30 de agosto de 2016

A cínica Janaína pede condenação de Dilma para resolver o futuro dos seus netos. Onde se viu isso?



Cardozo disse que as palavras da acusação foram “muito duras”. “Para quem conhece Dilma Rousseff, pedir sua acusação para defender seus netos é algo que me atingiu muito fortemente”, disse ao se referir à fala final da colega Janaina Paschoal (acusação) que pediu desculpas à presidente da República afastada por saber que a situação que ela vive não é fácil e, como uma das autoras do processo, ter causado sofrimento à petista. "Peço que ela um dia entenda que eu fiz isso pensando também nos netos dela", disse Janaína. “Achei profundamente injusta a menção aos netos. Eu não condeno alguém dizendo que vou resolver o futuro dos netos”, disse Cardozo.

Número dois da PGR renuncia após ter revelado que TEMER está sendo delatado e que MP está dividido por causa do GOLPE


 Vice-procuradora da República, Ela Wiecko renunciou ao cargo depois de ter revelado que o presidente interino, Michel Temer, "está sendo delatado"; em entrevista concedida hoje, ela também classificou o processo de impeachment de Dilma Rousseff como "um golpe" e declarou que "tem muita gente dentro da instituição" que pensa como ela; com sua queda, abre-se uma crise no Ministério Público e a crise institucional brasileira sobe mais um degrau

CHEGOU A HORA DOS CANALHAS


 "Este 29 de agosto de 2016 entra para a história não como mais uma etapa da farsa do impeachment da Presidente da República que está em vias de ser perpetrado, mas como o dia em que Dilma decretou o início do julgamento histórico dos canalhas", diz o colunista Jeferson Miola; "A partir desse dia, esses canalhas fascistas foram reduzidos à condição de fungos desprezíveis que parasitam a árvore da democracia. Eles serão julgados e condenados pelo povo muito mais cedo que tarde"; atuação de Aécio Neves (PSDB-MG), que não aceitou a derrota eleitoral de 2014, foi decisiva para que a democracia brasileira fosse colocada em risco

Por que ele não?


O que ele fez para tirar o Brasil da crise....ele que fala tanto?


'AI POSTERI L´ARDUA SENTENZA' (Dante Alighieri)





segunda-feira, 29 de agosto de 2016

GOLPE - Quem quer apagar a história desses dois? Quem quer esconder a história e os rostos dos algozes?



É impossível não associar a inquirição atual àquela de novembro de 1970, no Rio de Janeiro, onde a jovem Dilma, com 22 anos, após 22 dias de tortura nos cárceres da ditadura, era interpelada por uma junta de covardes uniformizados, com as mãos sobre os rostos para esconder suas identidade 




GLOBO VOLTA ATRÁS E DIZ QUE BASE PARA INDICIAMENTO DE LULA É FRACO....
A Globo fez na noite de ontem um dos movimentos mais inesperados desde que iniciou seu projeto para destruir o ex-presidente Lula; texto publicado por Época afirma que o relatório da Polícia Federal sobre o "triplex de Lula" é fraco e que "a acusação terá grandes chances de ser considerada inepta – de ir para o lixo"; a questão é saber por que a Globo recuou, mas há algumas hipóteses: (1) o risco de sair derrotada no golpe de 2016, (2) a percepção generalizada no mundo de que há um golpe e uma caçada judicial a Lula, como foi denunciado à ONU e (3) a busca de um pacto para evitar a destruição do sistema político brasileiro, depois que líderes tucanos foram atingidos por acusações bem mais sérias do que as que pesam contra Lula

sábado, 27 de agosto de 2016

Terremoto - Bombeiro pede desculpas à criança por ter chegado atrasado...para salvá-la


Procurador Vladimir Aras - 'indiciamento é etiqueta desnecessária que serve só a interesse corporativos...' Calma, leitor, ele escreveu isso antes do indiciamento do Lula!

“O indiciamento não tem qualquer função relevante no processo penal. Tal ato policial é uma excrescência no devido processo legal e não se justifica no modelo acusatório, no qual a Polícia é um órgão auxiliar do Ministério Público, e não parte. Contudo, como a imprensa adora rótulos, as manchetes espocam: ’Fulano foi indiciado’”. Segundo Aras, o indiciamento não significa rigorosamente nada. “Ou melhor, significa uma etiqueta desnecessária, um estigma inútil aplicado a supostos criminosos por uma instância formal de controle social”. Continua Aras, lembrando que “um dos maiores tesouros do Estado de Direito é a presunção de inocência. O indiciamento, como medida unilateral da Polícia, baixada ao final da investigação policial (inquisitorial) serve a interesses corporativos, e não à boa administração da Justiça”. Indiciar, segundo Aras, “corresponde à ação de reunir indícios precários sobre certa pessoa suspeita de um crime”. É um ato que é baixado pelo delegado de Polícia antes da formação da culpa e fora do processo. “O indiciamento só se tem prestado à espetacularização midiática em detrimento do estado de inocência do investigado, “que poderá ser acusado pelo Ministério Público, ou não. Escrito em abril, o artigo não se refere ao indiciamento de ontem, de Lula e Mariza. É um alerta contra o exibicionismo irresponsável de delegados de polícia que não honram a corporação. “Tal dispositivo, fruto de uma campanha corporativa que não foi percebida a tempo pelo Congresso Nacional, agora cobra seu preço. Manchetes garantidas. No caso Lava Jato, perante o STF, uma senadora indiciada pela Polícia; no caso Acrônimo (Inquérito 1168), perante o STJ, um governador de Estado também foi indiciado, isso tudo antes de o processo penal ser iniciado…”. Aparentemente, a Polícia Federal continua sem comando.

De novo o triplex que não pertence a Lula. Coincidência fatal: depois de dois anos PF conclui o inquérito nos dias do julgamento de Dilma.

A assessoria de imprensa do Instituto Lula divulgou na última sexta-feira (26) uma nota repercutindo o relatório do delegado Marcio Anselmo sobre a investigação do tríplex no Guarujá. De acordo com os advogados do ex-presidente, o documento é “uma peça de ficção”.“É a prova cabal de que, após dois anos de investigações marcadas por abusos e ilegalidades, os operadores da Lava Jato não encontraram nenhuma prova ou indício de envolvimento do ex-presidente Lula nos desvios da Petrobrás”, disse o Instituto Lula na nota. Segundo o Instituo, sem conseguir reunir provas contra Lula, os operadores da Lava Jato não querem assumir que erraram o alvo e estão produzindo factóides para alimentar a imprensa.“O povo brasileiro reconhece Lula como o melhor presidente que o país já teve, o que está claro nas pesquisas sobre as eleições de 2018.  O povo está percebendo, a cada dia com mais clareza, os movimentos da mídia, dos partidos adversários do PT e de agentes do estado, que não atuam de forma republicana, para afastar Lula do processo político, por vias tortuosas e autoritárias”.

Comentário do blogueiro - Dinheiro público está sendo gasto pela PF para manter viva sua obsessão em detonar Lula como candidato em 2018. Vale tudo. Inclusive depoimentos coercitivos sem intimação....algo estarrecedor no mundo civilizado, e outras sujeiras típicas de noviços democráticos....O relatório final da PF é de estudantes universitários que devem elaborar uma hipótese para a sua tese e pegam a mais 'original' sem comprovação de campo. No caso da PF não existe nem tese e nem comprovação: só a obsessão de acabar com o 'sapo barbudo' difícil de ser engolido! Que nojo! Até com os inimigos precisa um mínimo de ....decência!

Por que fogem dos debates os senadores julgadores de Dilma? 40 senadores são investigados e deveriam se declarar 'IMPEDIDOS"

Esvaziamento: noite de sexta-feira, votação importantíssima para o país à frente, e os senadores somem do debate, seguindo sua rotina. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) disse que o Senado esvaziado “mostra o ‘interesse’ (dos opositores de Dilma) por este momento do nosso país”. “Eles não falam, não questionam, não entram no debate. Quem não quer debater tem medo do debate. A acusação está fugindo.” A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) acrescentou que o desinteresse dos senadores pró-impeachment pelos depoimentos da defesa revela que eles “perderam a compostura e sequer disfarçam” diante da importância do julgamento. "Só querem condenar." O advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, ressaltou a importância do depoimento de Luiz Cláudio Costa pelo fato de que, sendo professor e pesquisador da área de educação, pôde confirmar em sua área o que o economista Luiz Gonzaga Belluzzo e o consultor jurídico Geraldo Prado afirmaram anteriormente: que não existe crime de responsabilidade de Dilma, que deve ir ao Senado na segunda-feira (29) fazer sua própria defesa.

LE MOND sobre o julgamento a Dilma ' Ou é GOLPE ou é FARSA'!

Se esse não é um golpe de Estado, é no mínimo uma farsa. E as verdadeiras vítimas dessa tragicomédia política infelizmente são os brasileiros", diz editorial do jornal francês Le Monde, um dos mais influentes da Europa; "O homem que deu início ao processo de impeachment, Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, é acusado de corrupção e de lavagem de dinheiro. A presidente do Brasil está sendo julgada por um Senado que tem um terço de seus representantes, segundo o site Congresso em Foco, como alvos de processos criminais", lembra ainda a publicação, que lembra o papel da Globo na desestabilização do Brasil

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Gilmar Mendes e janot jogam no mesmo time: inviabilizar a delação da OAS para poupar Serra e Aécio. Viva a justiça!

Sob anonimato, um procurador da Operação Lava Jato disse à jornalista Natuza Nery, responsável pelo Painel da Folha desta quarta (24), que o sentimento comum na força-tarefa hoje é de que eles foram usados para derrubar a presidente Dilma Rousseff e, agora que o impeachment está quase consolidado, estão sendo descartados. "Éramos lindos até o impeachment ser irreversível. Agora que já nos usaram, dizem chega”, disse o procurador. A fala do procurador ocorre após o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes reagir ao vazamento de suposta delação da OAS citando Dias Toffoli, membro da Corte, apenas para criar constrangimentos. Segundo a colunista, "o Estado-maior da Lava Jato é unânime: o avanço das investigações sobre setores do Judiciário pode acabar se transformando em um freio na operação." O ministro também disparou contra uma das propostas defendida pelos membros da operação no Congresso, que trata da permissão de usar provas obtidas de maneira irregular, desde que de boa-fé. Chegou a dizer que isso é coisa de "cretino".Com a reação do ministro do STF, o procurador-geral da República Rodrigo Janot veio à tona defender a Lava Jato do vazamento. Disse que a responsabilidade pelo factóide entregue à Veja era dos advogados da OAS, que estariam fazendo pressão para fechar a delação de Leo Pinheiro. Ele também afirmou que não existe nenhuma menção a Toffoli no depoimento. O PGR usou esse argumento para suspender as negociações. 

Histórico de abusos - A suspensão e a pressão do Supremo para isso são atitudes inéditas na Lava Jato. Não é como se a operação já não tivesse se envolvido em episódios polêmicos que colocaram em xeque os limites de sua atuação. A título de exemplo, no caso do vazamento de um grampo presidencial, por exemplo, o máximo que ocorreu foi o juiz federal Sergio Moro pedir desculpas a Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF. Dilma Rousseff, que foi derrubada na Câmara dias após esse vazamento, aponta que esse tipo de vazamento "é crime em qualquer lugar do mundo". Além disso, foram mais de 13 delações vazadas para a imprensa, sem nenhuma reação. O que levanta a pergunta: por que após dois anos e meio de Lava Jato, só agora Janot quer findar um acordo de cooperação por causa de um vazamento?

Famílias do centro da Itália sofrem mais uma vez pelo terremoto. Vítimas acima de 70...por enquanto!

Mais de 70 pessoas morreram em um forte terremoto que atingiu a região central da Itália nesta quarta-feira, disse uma porta-voz do departamento de proteção civil. O tremor atingiu cidades e vilarejos montanhosos do centro do país, o que torna as operações de resgate ainda mais difíceis, disse a porta-voz do departamento Immacolata Postiglione. Falando a jornalistas, Postiglione disse que dezenas pessoas morreram entre as cidades de Accumoli e Amatrice, e na área de Arquata.Oito anos atrás na mesma hora a cidade de Aquila foi fortemente destruída pelo terremoto. Mais uma vez quem paga com sua própria vida são as famílias simples com moradias antigas ou pessimamente construidas por empresas sem escrúpulos que não atendem às exigências anti-sísmicas. A nossa solidariedade, se serve a algo, a todas aquelas famílias....




Para o pluri-delatado ministro interino Kassab está vigorando o 'semi-parlmanetarismo'. Quem não tem um terço do congresso 'cai fora'....com crime ou sem crime!

"Para aqueles que defendem o parlamentarismo, esse impeachment vai mostrar que nós estamos vivendo num semiparlamentarismo. O governo que não tiver um terço da Câmara dos Deputados passará por um processo de impeachment. É o que aconteceu", declarou Gilberto Kassab, ex-ministro de Dilma e atualmente ministro de Temer, em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, no SBT; segundo ele, a presidente sofrerá impeachment pelo "conjunto das circunstâncias"

E se pegar a moda de 'pegar' gente do PSDB? O pluri-delatado Aécio Neves começa a pular cerca.....

Polícia Federal, Ministério Público Federal e Ministério da Transparência deflagraram na manhã desta quarta-feira (24) a Operação Decantação, que apura desvio de R$ 4,5 milhões na Saneago, empresa pública de saneamento, supostamente para o financiamento de campanhas políticas; presidente tucano, Afrêni Gonçalves, que é diretor de Expansão da companhia, e o presidente da estatal, José Taveira Rocha, foram presos; diversos agentes cumprem 11 mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária, 21 de condução coercitiva e 67 de busca e apreensão na sede de empresas envolvidas e do PSDB em Goiânia, Itumbiara, Formosa, Aparecida de Goiânia, Florianópolis e São Paulo 

Depois de se unir a Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) já ensaia a traição a Michel Temer; "Nós queremos apoiar o governo Temer. É um governo de salvação nacional. Mas não é o governo do PSDB.  Reconhecemos isso. Mas é um governo que se dispõe a fazer reformas. E elas não podem conviver com esses sinais permanentemente trocados", disse ele, ao questionar os aumentos ao funcionalismo

Ministro do STF Gilmar Mendes (PSDB/MT) - aos amigos os favores da lei, aos inimigos os rigores....e as perseguições!

"Chama a atenção que Gilmar tenha resolvido protestar quando a operação ameaça atingir um de seus colegas", diz o colunista Bernardo Mello Franco; "Em março, quando a Lava Jato divulgou gravação de Lula e Dilma Rousseff, Gilmar não manifestou a mesma indignação com o vazamento. Na época, o que importava para ele era discutir 'o conteúdo' do grampo"

terça-feira, 23 de agosto de 2016

TEMER-ário continua a afundar o País!

1. Senador Roberto Requião (PMDB-PR) diz não poder acreditar "que pelo menos trinta senadores não tenham a coragem de acabar com o impasse devolvendo o protagonismo ao povo"; "Só um sujeito desprezível entrega seu País a uma recessão entreguista em troca de emendas, cargos e favores políticos. Plebiscito é a solução", criticou, pelo Twitter, mirando o presidente interino, Michel Temer  
2. Ministério da Justiça determinou que o filme Aquarius, do cineasta Kleber Mendonça Filho, fosse classificado como impróprio para menores de 18 anos sob a alegação de que possui "situação sexual complexa"; elenco do filme, estrelado por Sônia Braga, fez um protesto contra o presidente interino, Michel Temer, durante o Festival de Cannes, na França; os atores exibiram cartazes condenando o golpe no Brasil e ganharam as capas de jornais no mundo 
3. Levantamento publicado nesta terça-feira pela Folha mostra que a situação do interino Michel Temer é menos confortável do que alardeiam seus aliados; embora o Palácio do Planalto fale em 63 votos a favor do golpe parlamentar de 2016, Temer tem apenas 48 garantidos dos 54 necessários; a presidente eleita Dilma Rousseff, por sua vez, conta com 19; os demais não quiseram declarar seus votos; alguns senadores temem ficar rotulados como golpistas e também votar contra seus próprios eleitores, uma vez que, segundo pesquisa Vox Populi, 79% dos brasileiros defendem a saída imediata de Temer, seja para a volta de Dilma, seja para a realização de novas eleições 

As asneiras do ministro interino do Itamaraty, José 'coice' Serra

Colunista Marcelo Zero expõe uma lista de grosserias e inabilidades cometidas por José Serra à frente do Itamaraty, mas avalia que o tucano "se superou" ao dizer, "com grande tato", que o documento oficial da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA pedindo informações sobre o processo do impeachment é "besta e malfeito" e que "o Brasil não tem que responder nada"; Zero lembra que "foi o governo tucano ao qual Serra serviu que tomou a decisão de reconhecer como obrigatórias" as sentenças do Pacto de San José em 1998; "Portanto, a Corte da OEA pode, sim, pedir explicações ao Brasil. Mais: o Brasil está obrigado a cumprir as sentenças da Corte", afirma; "Chamar o documento da Corte da OEA de 'besta e malfeito' é o cúmulo da diplomacia asinina do coice", critica; "Malfeita, muito malfeita, foi a sua nomeação para o Itamaraty", rebate ao chanceler interino. (Fonte: Marcelo Zero)

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Com Temer e bando o Brasil volta a ser 'o criado' dos EUA, diz Eleonora Lucena

Muitas pessoas com visão tapada, - em que pese a cor da sua ideologia ou partido, - poderiam compreender que a saída de Dilma representa para o País, - e não para o partido dos trabalhadores, - o início do fim. Não afirmo que o governo dela e do PT (coligado a PMDB e outros nanicos....) tem sido o melhor ou o mais honesto, que não o foi....mas afirmo que os que lá estão nesse momento não ocupam aquele lugar à toa. Planejaram isso, mas não em nome da redenção do País, mas em nome de uma nova configuração geopolítica em que o Brasil volta a ser o 'escravinho-criado' dos Estados Unidos, principalmente agora diante do avanço poderoso da China. Não esqueçamos que Temer e Serra são homens de confiança e informantes dos EUA, segundo fontes sérias. Se a palavra 'espião' é demodée e exagerada, a palavra 'interlocutores privilegiados' com certeza cai muito bem. Vejam como foi banalizado o termo 'confiança'! Olhem o que fala a competente e insuspeita jornalista Eleonora Lucena que já foi da Folha...O Brasil entrou no centro da disputa geopolítica mundial. Tem riquezas naturais, mercado interno, posição estratégica", diz a jornalista Eleonora de Lucena, que foi editora-executiva da Folha; segundo ela, "os Estados Unidos, acostumados a nadar de braçada no continente, começaram a ver o avanço chinês no que consideram seu quintal" e decidiram reagir; ela avalia que esse projeto de recolonização é o real propósito do golpe por trás da chegada de Michel Temer ao poder, mas faz um alerta: "o Senado vai enfrentar o julgamento da história"

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

AS SETE OBRAS DE MISERICÓRDIA COPORAIS. UMA NOVA COMPREENSÃO - Por Claudio Bombieri

I - Dar de comer a quem tem fome –
 Muitas vezes ouvimos expressões do tipo: ‘passa fome porque quer’ Só quem está de barriga cheia e perdeu todo tipo de sensibilidade ousa explicar o drama da fome dessa maneira. E tenta justificar a sua indiferença diante de milhões de seres humanos desnutridos. Muitos não compreendem que no ‘planeta da fartura’ extensos grupos humanos vivem na permanente insegurança alimentar pela forma injusta segundo a qual nós humanos nos administramos. A fome é causada muito mais pela péssima distribuição dos bens produzidos e pela concentração de terras, do que pelas péssimas condições climáticas ou pela suposta passividade dos famintos. Sem entender as causas profundas da existência de mais de um bilhão de vítimas da fome nesse planeta não nos é possível vivenciar plenamente essa obra de misericórdia corporal. A fome, portanto, se é produzida pelo nosso iníquo sistema social e político, - e não pelas fatalidades da vida, - só poderá ser superada por nós mesmos, de forma coletiva e institucional. Já o papa Francisco nos alerta sobre o fato de que ‘ o cuidado com a cidade-polis, ou seja, a Política com ‘P’ maiúsculo, é a mais alta expressão da caridade. O próprio Jesus naquele significativo gesto de ‘multiplicar pães e peixes’ pediu que fossem os próprios discípulos a ‘dar de comer’ de forma bem organizada, pedindo que a multidão fosse dividida ordenadamente em grupos (Lc. 9,13).  Naquele gesto Jesus deixou claro que antes de multiplicar pães era necessário multiplicar sensibilidades, solidariedade, articulação e justiça. Aliás, sem ‘ter fome e sede de justiça’ dificilmente haverá o ‘bem-aventurado’ encontro entre a comida e o que tem fome. Sem sentir dentro de si fome e sede de equidade e de compaixão sempre haverá quem alimente a indústria da fome. Esta obra de misericórdia corporal não visa, portanto, a distribuição aleatória e individual de pão/comida a quem não tem. Ela mira, principalmente, a extinguir toda forma de cobiça humana, de acumulação criminosa, de desperdício de alimentos, de especulação de preços dos alimentos ou, pior, da sua transformação em combustível para carros! Ela nos diz que as boas ações individuais, embora louváveis nos momentos emergenciais, - e até como práticas pedagógicas de compaixão, - são insuficientes para debelar o flagelo da fome corporal.  Como nos lembra papa Francisco no seu discurso na sede da FAO ‘devemos ser livres de pressões políticas e econômicas para cuidar da irmã e mãe terra, para evitar que se autodestrua.... superando a indiferença sempre mais crescente de governos e grupos humanos, pois a  fome e a desnutrição jamais podem ser considerados um fato normal ao qual se habituar, como se fosse parte do sistema. Algo deve mudar em nós mesmos, na nossa mentalidade, nas nossas sociedades’.

II - Dar abrigo e afeto aos desamparados -
Jorge Houassi é um jovem de 28 anos, alto, magro, negro. Natural de Haiti, terra pobre e castigada pelo terremoto, Jorge chegou ao Brasil 5 anos atrás à procura de emprego. Batia de casa em casa. Desconfiadas, as pessoas nem abriam a porta. Passava a noite deitado debaixo de uma puxada de uma velha casa abandonada. Várias vezes foi submetido a vergonhosas manifestações de racismo. Só depois de quase um mês de peregrinar pelas ruas da cidade descobriu um ‘abrigo’. Era o salão paroquial da igreja de Nossa Senhora de Guadalupe que a comunidade o havia transformado em casa de acolhida para moradores de rua e refugiados estrangeiros. A partir daquele momento a esperança voltou a renascer na vida de Jorge. Jorge havia experimentado de um lado o mesmo drama de Maria e José, o de não encontrar um aconchego físico e afetivo, mas, do outro lado, graças à paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, ele havia experimentado também o que significa ‘misericórdia’. A grande imprensa, em geral, não informa que inúmeras paróquias da nossa igreja católica no Brasil, de Norte a Sul, vêm dando um verdadeiro exemplo para governos estaduais e municipais do que significa amparar o desabrigado e desamparado, ao acolher não somente milhares de cidadãos vindos da Síria, do Haiti, do Congo e de outros países da América Latina, mas também a muitos moradores de rua. Não só os abriga fisicamente como os ajuda a encontrar emprego, legalizar a sua permanência no País e, principalmente, a curar as feridas da dor e da rejeição. Hoje, no mundo, mais de 51 milhões de pessoas de diferentes países para fugir da guerra e da fome se arriscam a atravessar os desertos do medo, os Mediterrâneos e os Oceanos da intolerância e da hostilidade.  Assistimos, simultaneamente, a um novo e intenso êxodo de multidões para as grandes cidades. O número de cidadãos no mundo que moram em favelas nas grandes cidades aumentou de 760 milhões, em 2000, para 863 milhões, em 2012. Segundo o IBGE de 2012 no Brasil existem cerca de 2 milhões de moradores de rua, e quase 7 milhões de pessoas vivendo em moradias precárias. O Papa Francisco continua a conclamar a sociedade a mudar as estruturas iníquas, mas também convida, concretamente, as famílias de ‘coração misericordioso’ a abrirem as portas da sua casa e do seu coração para acolher e confortar as vítimas da guerra e da intolerância familiar. Isso mesmo: muitas pessoas no nosso País, por serem vítimas do álcool, de entorpecentes, de doenças mentais ou, simplesmente por serem idosos, são humilhadas e expulsas de suas casas por seus próprios familiares. Largadas na rua só conhecem o desprezo público. Essa trágica realidade indica que chegou a hora de termos menos cercas elétricas, e mais compaixão coletiva; menos alarmes, e mais abrigos físicos e afetivos; menos ‘limpeza social de mendigos’ e mais políticas assistenciais efetivas. A Cidade e as nossas casas não podem ser transformadas em ‘casas de detenção’, ou em novos ‘campos de concentração’. Para os misericordiosos permanece o desafio/testemunho de construir a ‘casa comum’ onde todos os seres vivos encontram respeito e proteção. Infelizmente, em pleno 2016 ‘os pássaros têm seus ninhos, e as raposas suas tocas, mas muitos ‘filhos dos homens ainda não têm onde pousar a cabeça’ e tranquilizar o coração.
 
III. Assistir os enfermos, curar suas feridas e amenizar sua dor
Às vezes fazemos a experiência de nos sentir potentes. Sentimos que as nossas forças físicas e mentais respondem positiva e sincronicamente às solicitações dos compromissos do nosso cotidiano. Sentimos uma enorme disposição interior tão grande que podemos enfrentar os piores desgastes, sem sentir cansaço. A vida parece correr serena e repleta de sentido. Sonhamos e torcemos para que esse estado de bem-estar intenso possa perdurar infinitamente. Não é o que acontece para nós mortais. Verdade é que quando fazemos a experiência contrária, a do mal-estar físico e mental, da doença, da dor, da fragilidade, sentimo-nos totalmente deslocados. A terra parece faltar debaixo de nossos pés. Começamos a nos interrogar sobre o porquê de tamanho sofrimento conosco. Perguntamo-nos, até, se não seria, por acaso, o resultado de alguma punição divina. Na doença tudo parece se inverter. A vida parece perder o seu sentido e brilho. Descobrimos que quando adoecemos é o nosso ser como um todo que padece. E que mesmo tendo um ótimo tratamento clínico nem sempre mantemos a serenidade interior que tínhamos outrora. Descobrimos que somos fatalmente vulneráveis, e isso nos assusta. Nessas horas damos fé que precisamos sim de atendimento médico digno, mas também de pessoas que mantenham sua mão apertada na nossa. Precisamos sim de acesso gratuito e universal a consultas, internações e remédios, mas também de pessoas amáveis que nos ajudam a dar sentido também à nossa dor e ao nosso sofrimento. Precisamos sim humanizar os nossos hospitais e clínicas, asilos e casas, mas também de sermos amáveis com os nossos pais acamados, com o nosso filho em cadeira de roda, com o nosso vizinho dependente de entorpecentes. Talvez essa obra de misericórdia corporal seja a que mais torna compreensível a atividade quase frenética de Jesus em se aproximar sistematicamente dos doentes. Os evangelhos nos mostram que era a compaixão visceral de Jesus que o motivava a superar o medo de tocá-los, e de se contaminar. Jesus compreendia que a ele só cabia ‘levantar, e reerguer’ moralmente o doente. Ou seja, valorizar a sua fé interior e a sua vontade de viver e voltar ao convívio social. Afinal, era a fé do próprio doente que, de fato, curava. Nem sempre a nossa fé nos cura da forma que nós desejamos. Quando fazemos a experiência de doenças prolongadas ou irreversíveis, talvez a fé nos ajude a somente encarar e a aceitar aquela dor. A descobrir que também nessas horas a nossa vida continua a ter sentido.  Paradoxalmente compreendemos o poder da fé que cura quando ao nosso lado, nos momentos de maior fragilidade encontramos quem nos assiste diuturnamente. Que não desperdiça palavras para nos consolar ou para nos conformar, mas que simplesmente está conosco. Com alegria e amabilidade.

IV -Dar água ao sedento, ou seja, defender o direito universal à água
A crise de abastecimento de água potável está a atingir todas as regiões do nosso País, mas de forma mais dramática, a região nordestina. E não é de hoje. Nos interiores nordestinos, milhares de pessoas, todos os dias, têm que percorrer vários quilômetros para buscar água de péssima qualidade em açudes públicos, bicas, cacimbas, ou aguardar um carro-pipa da prefeitura que nunca chega. Açudes e cacimbas que ficam - às vezes, - ao lado de açudes bem abastecidos de fazendas de deputados e de coronéis. Isto não é consequência somente do flagelo da seca, supostamente natural. É fruto, também, de má gestão pública e de negações políticas.  No Brasil, segundo um relatório do Ministério das Cidades, cerca de 41% de toda a água tratada no país é desperdiçada, (em países da Europa não passa de 9%). Mais de 15% dos nossos domicílios não possuem água devidamente tratada. Nem falemos das indústrias altamente lucrativas das ‘águas minerais’ que sob a bandeira da venda de  água pura e cristalina fazem verdadeiras fortunas às custas de pessoas ingênuas. Há algo diabólico nisso tudo. De um lado possuímos existe uma escassa educação em utilizar de forma responsável o precioso líquido, e do outro, há uma clara tentativa de administrar a água como sendo uma mercadoria. Isto já vem gerando conflitos de todo tipo em muitas regiões do planeta, com perspectivas mais dramáticas para um futuro próximo. A consequência da ‘cultura do desperdício’ associada à ganância sem limites é evidente: uma progressiva e dramática escassez de água, e  um número sempre maior de famílias sem acesso, e sem poder pagar a água fornecida. O que significa, então, para um misericordioso ‘dar de beber a quem tem sede’ no contexto de hoje? Se é verdade que permanece válido o gesto de ‘dar um copo de água fresca aos pequeninos’, - e isto nos torna ‘merecedores de recompensa (Mt. 10,42) -  é evidente  que temos diante de nós o desafio bem maior de ‘saciar a sede de justiça’ que arde em tantos corpos ressequidos pela fome, a sede, e a exclusão social. Matar a sede de justiça, exigindo respeito aos direitos fundamentais de todo ser vivo é a base mínima sobre a qual podemos tornar possível o acesso universal ao bem mais precioso que Deus deu a todos os seres vivos. 

V - Vestir os sem roupa, e revestir de dignidade seus corpos
‘Nu saí de minha mãe, e nu voltarei para lá (Jó 1,21) Nada iremos levar para o outro lado, menos ainda roupa de grife, nos alerta Jó! É bem verdade que descartamos e doamos roupa, mas muitas vezes é para aderir aos novos lançamentos da moda. Uma forma elegante para renovar o estoque pessoal. Doamos roupa pessoal a necessitados anônimos. O nosso gesto de doação é, na maioria das vezes, um gesto impessoal, e não uma expressão de comunhão com os ‘des-vestidos’ por uma sociedade iníqua e indiferente. Essa obra misericordiosa de ‘vestir quem está nu’ tem como pano de fundo não somente a constatação de que milhares de pessoas têm morrido ao longo da história da humanidade pelo frio intenso, por falta de abrigos decentes, mas também por terem sido ‘des-vestidas’ de qualquer dignidade e oportunidade na vida. É um dado de fato que a falta de abrigos públicos, de agasalhos e cobertores em cidades como São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e outras, continua vitimando centenas de pessoas pelas baixas temperaturas. É igualmente inegável que até nas ‘regiões quentes’ os moradores de ruas e muitos irmãos nossos continuam ‘socialmente des-vestidos’ pela nossa indiferença. O que mais deveria nos escandalizar, hoje em dia, não é tanto a nudez física, a corpórea, e sim a que deixa as pessoas completamente abandonadas e desesperadas. Nós cristãos guardamos na memória e no coração a parábola do juízo final em que Jesus se torna presente na ‘pessoa nua’, despossuída e sem esperança. Ela só é re-vestida plenamente quando um misericordioso se aproxima e faz comunhão com ela (Estava nu e me vestiste...Mt. 25,36). Os preconceitos raciais e de gênero, o culto das aparências, e outras pérolas da hipocrisia social impõem ‘modelos padronizados e universais’ de se vestir. Uma pessoa se não se vestir de um determinado jeito é excluída ou inferiorizada. Isso ocorre também em muitas nossas comunidades. Os pobres raramente aparecem nas nossas liturgias por achar que não possuem roupa à altura. Sentem-se ‘desnudados’ em sua autoestima e dignidade no banquete que sacramenta a acolhida, a igualdade e a comunhão para com todos. Vestir o nu é, em última análise, vesti-lo não somente de roupa, mas revesti-lo de dignidade, respeito, e valorização. São as pessoas em sua corporeidade dignificada os verdadeiros ‘lírios do campo que não trabalham e nem fiam, mas que são infinitamente mais preciosos do que as roupas que Salomão vestia em sua glória’! (Lc. 12,27)

VI -Visitar e socorrer os encarcerados.
Os destinatários dessa obra de misericórdia são pessoas que, em sua grande maioria, são responsáveis por ter cometido algum crime.  Por causa disso, para a maioria da sociedade, elas devem ser trancafiadas e punidas. Mesmo que em masmorras brutais! O brado atual da sociedade é por uma Justiça cada vez mais punitiva. Muitos acham que bandido tem que apodrecer na cadeia ou, pior ainda, ‘bandido bom é o bandido morto’! E não importa se esses ‘criminosos’ encarcerados, uma vez julgados com seriedade, 27% deles são declarados inocentes pela justiça! Tampouco preocupa se o Brasil adotou o encarceramento como único método para resolver os problemas estruturais da violência. Ou se a cadeia é só para Pobre, Preto e Prostituta! Pouco nos interessa aprofundar as causas do recrudescimento da violência, nem tampouco nos preocupa se o atual sistema carcerário é capaz ou não de restaurar os laços sociais rompidos pela prática criminosa. A banalização da realidade carcerária por parte de um certo tipo de mídia, continua a alimentar preconceitos de todo tipo. E contribui para que “visitar os encarcerados” seja a obra de misericórdia mais desafiadora e mais esquecida, e confiada a alguns poucos corajosos. É também verdade que onde existem presídios superlotados ou de segurança máxima, por causa de tantas barreiras burocráticas, - inclusive, pelas perquisições humilhantes aos visitantes, - não é simples se encontrar com os encarcerados. Nem por isso a comunidade cristã pode esquecer o convite de Jesus: “Estava preso e vocês me visitaram” (Mt. 25,36). Visitar e socorrer os encarcerados não se resume, contudo, a uma mera visita física, embora indispensável, mas antes de tudo, é adquirir um novo e radical olhar. É não aceitar como natural o linchamento público de qualquer suspeito. É condenar, veementemente, toda tortura física e psicológica aos presos, pois para o misericordioso toda pessoa humana é sempre inviolável em sua dignidade, seja qual for o crime que tenha cometido. Socorrer os encarcerados pode significar, por exemplo, apoiar, através da Pastoral Carcerária, da Comissão dos Direitos Humanos e de outros movimentos eclesiais e sociais, aquelas famílias que possuem algum membro encarcerado. E com elas tentar obter um julgamento justo para o encarcerado, e reinseri-lo na sociedade uma vez que sair. Sem preconceitos e fáceis moralismos. Afinal, “Cada vez que passo pela porta de uma prisão sempre me vem este pensamento: por que eles e não eu? A queda deles poderia ter sido a minha. Não me sinto melhor de quem tenho diante de mim” (Papa Francisco).

VII- Dar sepultura digna aos que se foram fisicamente, pois continuam vivos e em comunhão conosco. -
Assistimos, hoje em dia, a uma crescente indiferença diante de um número sempre mais assustador de ‘cadáveres’. A morte em geral, - e a morte violenta de alguém, especificamente, - parece não chocar mais. Muitas vezes o cadáver se torna, paradoxalmente, objeto de insana curiosidade e de exibição pública. Fotos digitais de corpos mutilados vítimas do trânsito ou de assaltos, corpos amontoados após uma chacina, ou tratados como carne de açougue jogada em camburões de polícia, circulam impunemente pelas redes sociais! Esquecemo-nos que mesmo dilacerados aqueles corpos continuam sendo sacramentos da ‘imagem do Criador’. E que não podem ser tratados como carniça imunda a ser exibida como macabro troféu de uma sociedade que faz da morte um espetáculo! Todo ser humano que morre tem direito a um ‘destino digno’ mesmo sabendo que nem todas as culturas ‘enterram os mortos’!Nada justifica, por exemplo, que existam ainda hoje cemitérios de luxo e cemitérios para indigentes ou sepulturas coletivas onde um finado é enterrado sobre um outro, sem placa de identificação.  Até na morte – realidade comum a todos, - permanecem as desigualdades sociais de quando ainda vivos. O que significa, então, hoje, para os discípulos da Ressurreição praticar essa obra de misericórdia? Ofereço algumas pistas de caráter mais pastoral e social. 
1. Inibir e punir mediante propostas específicas de lei não somente os maus tratos praticados aos cadáveres, como também a sua exibição pública não autorizada pelos familiares. 
2. Combater duramente a exploração das funerárias que oferecem até serviços religiosos com cachês caríssimos. 
3. Incentivar e apoiar nas nossas comunidades eclesiais pessoas que assumam o ministério de encomendar os corpos dos irmãos que faleceram, fortalecendo na esperança seus familiares e apoiando-os na realização de um enterro digno, e na obtenção rápida da certidão de óbito. 
4. Garantir um velório carregado de veneração e respeito para os que se foram: não somente preparando um espaço adequado, mas também evitando que nas redondezas existam, simultaneamente, farras, como frequentemente ocorre. 
5. Exigir dos poderes públicos uma permanente manutenção dos nossos cemitérios públicos, pois eles não são ‘depósitos de cadáveres anônimos’. Pela fé no Ressuscitado sabemos que o patrimônio afetivo e espiritual de uma pessoa querida que nos deixa não é enterrado com o seu cadáver. Aquele lugar se torna um verdadeiro santuário. Uma ‘terra santa’ que abriga ‘corpos espirituais’ que continuam sendo sacramentos de uma comunhão que nunca será interrompida.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Des-governo Temer é refém de Cunha, afirma GloboNews

Chantagem escancarada na própria Globonews: deputado afastado mandou recado por meio de aliados na Câmara de que se a votação do seu mandato de cassação, marcada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para 12 de setembro, não for adiada para depois das eleições, ele firmará acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato, podendo comprometer dezenas – ou até centenas – de membros do parlamento e do governo; esses aliados, segundo o colunista Lauro Jardim, também do Globo, têm tentado convencer deputados que devem favores a Cunha a faltar na sessão do dia 12, uma segunda-feira

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Quando os escândalos vêm dos Tucanos. O caso emblemático da secretaria de educação do Estado de São Paulo

A Secretaria da Educação do governo Geraldo Alckmin (PSDB) teria favorecido a Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf) para os contratos da merenda escolar em São Paulo, obtendo o aval do governo paulista com documentos falsificados para cobrar até 30% a mais do valor das caixinhas de suco de laranja. Um dos requisitos dos contratos obtidos pela Coaf em 2014 era uma "declaração de que possui registro perante a entidade estadual da Organização das Cooperativas Brasileiras". A Coaf não tem e confirmou que nunca teve esse registro. Mas entregou um documento. Além disso, a Coaf afirmava que seus produtos tinham origem de pequenos produtores de Bebedouro, no interior de São Paulo. Mas se descobriu que a Cooperativa revendia o suco de grandes indústrias e cobrava até 30% a mais. As informações são de reportagem da Folha de S. Paulo, que se limitou a informar sobre a Coaf e que o caso de possíveis políticos envolvidos, como o presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB), está nas mãos da Procuradoria-Geral de Justiça.

O moralista religioso sen. Malta pode ter recebido 100.000 'por fora'! Mensagens eletrônicas confirmam

O senador Magno Malta (PR-ES) teria recebido R$ 100 mil em propina e viajado em jatinho particular da empresa Cozinhas Itatiaia. Malta tem sido um dos mais covardes detratores de Dilma Rousseff. Dentro de todas deslealdade lá possíveis, ele baba de ódio toda vez que pede a cabeça (impeachment) da presidente eleita, uma mulher honesta. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, a trambicagem do senador que usa o nome em vão de Deus pode ser materializada em e-mails trocados entre o dono da empresa, Victor Penna Costa, o filho dele, Daniel Costa. “Os outros 100.000 são para compensar a retirada em dinheiro de R$ 100.000 do Malta. Não sei como foi contabilizado [a saída desse valor da empresa]”, escreve o presidente da firma. O filho dele, então, pergunta: “Quem realizou o pagamento do Malta? Existe NF, foi declarado a doação?”.Victor encerra: “Não existe NF, não declaramos. Está em aberto, talvez como adiantamento para mim. Veja com Lailton [tesoureiro da empresa]. Favor apagar todos os e-mails sobre este assunto”. Como disse ontem (13) Ciro Gomes em Curitiba, em palestra no Circo da Democracia, "o moralismo é a ferramenta dos canalhas”.

Até o Globo admite que esse governo é refém do Cunha!

"Cunha acumula segredos que poderão pôr o governo a pique, além de provocar um terremoto na Câmara. Ali, mais de uma centena de deputados deve favores milionários a ele. Alguns devem a própria eleição", diz o colunista Ricardo Noblat, do Globo; segundo o jornalista, "Temer conhece parte desses segredos" e hoje comanda um governo "refém do medo" por saber que, "em torno dele, muitos cairão ao primeiro sopro"; segundo ele, Cunha cogita fazer uma delação para abrandar sua pena, da esposa Cláudia Cruz e da filha Danielle Dytz.

O TEMERário TEMER admite ter pedido dinheiro à Odebrecht. Normal, meu caro! Normal, mesmo sendo 'por fora'

Pela primeira vez, o Brasil tem um presidente, ainda que provisório, que considera normal e reconhece ter pedido dinheiro a um empreiteiro no próprio palácio (no caso, o Jaburu); "Eu já confirmei que jantei com Marcelo Odebrecht, no Jaburu, em 2014. Como é natural, o partido me pressionava para obter recursos para os seus candidatos. A Odebrecht contribuiu? Claro que sim", disse o interino Michel Temer, em entrevista publicada nesta segunda-feira; em seu primeiro depoimento, Marcelo Odebrecht falou que os R$ 10 milhões saíram pelo caixa dois da empreiteira e R$ 4 milhões foram entregues em dinheiro vivo a Eliseu Padilha, atual ministro da Casa Civil e braço direito de Temer; na entrevista, o interino também defendeu a cisão da chapa Dilma-Temer no TSE – o que vem sendo negado pelos ministros da corte.

sábado, 6 de agosto de 2016

Marcelo Odebrecht em sua colaboração premiada prova que deu 10 mi a Temer e Padilha. E agora, Moro, vai prender?

O governo provisório de Michel Temer está chegando ao fim; além da pesquisa Vox Populi que revelou que apenas 17% dos brasileiros querem que ele fique até 2018 e da vaia de 105 decibéis registrada na abertura da Rio 2016, ele foi um dos principais nomes delatados por Marcelo Odebrecht em sua colaboração premiada; Marcelo revelou que, após uma reunião no Palácio do Jaburu, Temer, como vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, pediu uma ajuda extra ao partido, que foi entregue em dinheiro vivo: nada menos que R$ 10 milhões, dos quais R$ 4 milhões teriam sido entregues a Eliseu Padilha, braço direito do interino; o restante foi doado ao caixa dois de outros candidatos. (Fonte Brasil 247)

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Senador do golpe diz que nomeia até “melancia” em órgão federal: “Isso aqui é nosso”

Responsável pela indicação do novo superintendente da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), vinculada ao Ministério do Planejamento, o senador Hélio José (PMDB-DF) disse que põe a “melancia” que quiser no órgão e que quem não “estiver com ele” pode “cair fora”. “Isso aqui é nosso. Isso aqui eu ponho quem eu quiser aqui. A melancia que eu quiser aqui eu vou botar”, afirmou o senador na última terça-feira (2), ao apresentar aos servidores da SPU o novo superintendente da secretaria, Francisco Nilo Gonsalves Junior, que foi seu assessor no Senado. O áudio das declarações foi vazado pela internet.

  Sem comentários, não é mesmo? Bom saber que iniciou uma nova era de 'petistas corruptos, amantes do poder, etc. disfarçados de peemedebistas...' e o crítico e independente Cristovam nada diz desses seus novos aliados!

VOX POPULI '78% dos brasileiros querem FORA TEMER' e 61% querem novas eleições!

Pesquisa realizada pelo instituto Vox Populi, divulgada nesta sexta-feira pela revista Carta Capital, revela que 61% dos brasileiros querem novas eleições e 18% defendem que a presidente Dilma Rousseff retorne e conclua seu mandato; do total, apenas 17% dos brasileiros querem que o golpe seja confirmado pelo Senado, com Michel Temer permanecendo na presidência até 2018; como o plebiscito por reforma política e novas eleições depende da rejeição ao impeachment, os senadores, se quiserem ouvir as ruas, terão que rechaçar o relatório Anastasia. Se a eleição presidencial fosse hoje, o ex-presidente Lula seria o candidato mais votado no primeiro turno em três cenários pesquisados, aponta pesquisa Vox Populi encomendada pela revista Carta Capital; de acordo com o levantamento, o petista teria 28% dos votos, contra 18% do tucano Aécio Neves e 15% de Marina Silva; com Geraldo Alckmin como candidato do PSDB, Lula lideraria com 29%, contra 18% de Marina e 11% de Alckmin;"

O Caso Cristovam Buarque, uma vergonha! - Ao repetir, várias vezes, que não tem medo de ser chamado de golpista, na comissão do impeachment nesta quinta-feira, Cristovam Buarque (PPS-DF) repete o célebre discurso de Jarbas Passarinho, em apoio ao AI-5, que recomendou em 1968: 'Às favas com todos os escrúpulos de consciência'", compara Paulo Moreira Leite; "Tentando apaziguar culpas e possíveis remorsos, inevitáveis numa tentativa de impeachment sem crime de responsabilidade, o senador tenta apresentar como ato de coragem a adesão a um governo que já escandaliza o país com promessas de empregos e favores na tentativa de ser confirmado no cargo de qualquer maneira", afirma o jornalista.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Celso Bandeira de Mello:'O judiciário virou um instrumento de guerra político-partidária'!

Prestes a completar 80 anos, o professor Celso Bandeira de Mello, um dos principais juristas brasileiros, diz que "não tem mais ilusões" em relação ao Poder Judiciário; na sua avaliação, a Justiça virou um instrumento da guerra político-partidária e isso se expressa de forma clara no que enxerga como perseguição contra o ex-presidente Lula; "Qualquer pessoa de bom senso sabe e todos os ministros do Supremo Tribunal Federal têm plena consciência de que os direitos e garantias do ex-presidente Lula estão sendo violentados", diz ele; Bandeira de Mello avalia que o STF se curvou aos interesses de uma mídia monopolizada, que combate sistematicamente governos de tendência popular; para ele, Lula fez bem em recorrer à Comissão de Direitos Humanos da ONU, que deverá censurar o Brasil pela violação das garantias individuais do ex-presidente.

Comentário do blogueiro - Evidente que nem todos os juízes agem da forma descrita pelo nobre Celso de Mello, mas é um fato que numa hora em que achávamos que a última reserva moral fosse o STF ficamos decepcionados ao assistir a omissão flagrante da maioria dos ministros mais preocupada com seu prestígio pessoal do que com a justiça para todos. O que o jurista diz a respeito do Lula vale para muitos outros senhores suspeitos, de direita e do centro. O medo da impopularidade vem falando mais alto. mais alto do que o compromisso ético e profissional com a...justiça.

Pesquisa mostra que Dilma tem votos suficiente no senado para voltar. E agora José?

Pelas contas do Palácio Alvorada, 31 votos já estariam garantidos para arquivar o impeachment; 40 favoráveis ao afastamento definitivo de Dilma Rousseff; e 10 ainda estariam em cima do muro. Na admissibilidade do processo de impeachment, em 12 de maio, o resultado foi 55 a favor, 22 contra e 1 abstenção. O quórum foi de 78 senadores (três não compareceram).Para barrar o impeachment, Dilma precisaria apenas de mais cinco votos. Portanto, já ultrapassou 4.Com a divulgação da ‘carta aos brasileiros’ no próximo dia 10 de agosto, a tendência é que o placar contra o golpe seja ampliado ainda mais. Dilma deverá propor um governo de pacificação nacional e a antecipação da eleição presidencial por meio de plebiscito. Fonte: DataEsmael (margem de erro menor que a Datafolha).

Jânio de Freitas:Nunca houve tanta hipocrisia no Brasil como em 2016 e o seu representante é o sen. Anastasia e seu relatório. Golpe civil é indisfarçavel!

No artigo Afastamento de Dilma é hipocrisia como jamais houve no Brasil, o jornalista Jânio de Freitas, decano da imprensa brasileira, reflete sobre como o golpe de 2016 entrará para a história. "Quem não aceita ver golpe partidário na construção do impeachment de Dilma Rousseff pode ainda admitir, para não se oferecer a qualificações intelectual ou politicamente pejorativas, que o afastamento da presidente se faz em um estado de hipocrisia como jamais houve por aqui", diz ele. "O golpe de 64 dizia-se 'em defesa da democracia', é verdade. Mas o cinismo da alegação não resistia à evidência dos tanques na rua, às perseguições e prisões." Hoje, diz Jânio, o golpe feito por civis e pelo parlamento é diferente. "A hipocrisia do lado civil não tem mais quem a encubra, ficou visível e indisfarçável." Como o próprio interino Michel Temer afirmou que o julgamento é político, embora o Brasil não seja um país parlamentarista, Jânio afirma que "todo o processo do impeachment é, portanto, farsante." E um dos maiores representantes da farsa é o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), incumbido de produzir o relatório do golpe. "As 441 folhas do relatório do senador Antonio Anastasia não precisariam de mais de uma, com uma só palavra, para expor a sua conclusão política: culpada. O caráter político é que explica a inutilidade, para o senador aecista e seu calhamaço, das perícias técnicas e pareceres jurídicos (inclusive do Ministério Público) que desmentem as acusações usadas para o impeachment", diz ele. "Do primeiro ato à conclusão de Anastasia, e até o final, o processo político de impeachment é uma grande encenação. Uma hipocrisia política de dimensões gigantescas, que mantém o Brasil em regressão descomunal, com perdas só recompostas, se o forem, em muito tempo – as econômicas, porque as humanas, jamais."

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

O deputado e pastor evangélico Feliciano o paladino da moralidade é acusado de assedio e tentativa de estupro

Parece enredo de episódio de House of Cards, mas é só a política brasileira sendo assustadora (de novo). O blog Coluna Esplanada levantou uma polêmica das fortes. Segundo o blogueiro Leandro Mazzini, responsável pela publicação,uma estudante de Brasília de 22 anos teria acusado o deputado federal Marco Feliciano de assédio sexual, agressão grave e tentativa de estupro!Conforme a jovem contou ao blogueiro, ela teria sido agredida com um soco na boca e arrastada para o quarto do político durante uma reunião no apartamento funcional dele. A estudante é militante da juventude do PSC, partido pelo qual o pastor foi eleito deputado, e teria realizado a visita para tratar de assuntos da UNE após ser informada de que haveriam outras pessoas no local. Quando chegou, ela se viu sozinha com o político, que começou a agredi-la e tentou estuprá-la no dia 15 de junho. Ela contou ainda que teria recebido uma proposta de se tornar amante do político recebendo um cargo comissionado no PSC com algo salário. Por motivos de segurança, o nome da jovem não foi informado pelo jornalista, que divulgou imagens de conversas pelo Whatsapp que ela teria tido com o político. Segundo ele, dois funcionários do PSC teriam confirmado que o número do celular que aparece nas mensagens seria o telefone pessoal usado pelo deputado, que trocou de número recentemente (Fonte:TERRA)

Sem comentários!

Como não ser um Juiz de Direito? Fácil, leia as decisões de Sérgio Moro - Por Rômulo de Andrade Moreira, Procurador de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia

Como foi amplamente noticiado pela imprensa, acabou de ser concedida a liberdade provisória a um casal de réus, com arbitramento de fiança, na chamada Operação Lava-Jato que, como o próprio nome indica, deseja fazer uma “limpeza” ou uma “lavagem” moral no Brasil. Acho até que, talvez, o que se queira mesmo é fazer uma limpeza em si mesmo (Freud explica). Como a repressão é tremenda (e o inconsciente acaba quase sempre vencendo), cuidemos dos outros. Assim, ficamos em paz com o nosso consciente e, de quebra, ainda recebemos prêmio da Rede Globo e aparecemos em manchetes de jornal. Tudo muito bom, portanto. Só não tem nada a ver com Processo Penal. Tem a ver com a psicanálise!Segundo a imprensa, o Juiz Sérgio Moro “fez duras críticas ao ´álibi` do casal nas ações penais“. Penso até que ele usou o significante sem saber mesmo o seu significado técnico-jurídico (eu até o perdoaria, se se tratasse do padeiro aqui ao lado de minha casa, que não é Juiz de Direito e não dá palpite quando não entende do assunto. É um sábio.).Também o Juiz afirmou tratar-se de “uma trapaça que não pode ser subestimada“, devendo ser censuradas em ambos os acusados (que serão julgados por ele, pasmen!) “a naturalidade e a desfaçatez com as quais receberam, como eles mesmo admitem, recursos não-contabilizados.”Em um claro pré-julgamento esse arremedo de Juiz de Direito (pois não demonstra ser um Magistrado imparcial), afirma que o (tal) álibi “não é provavelmente verdadeiro e ainda que o fosse não elimina a responsabilidade individual.
”Não contente em dizer tantas asneiras, o Juiz Sérgio Moro faz uma comparação absolutamente impertinente, digna de um neófito em Direito: “Se um ladrão de bancos afirma ao Juiz como álibi que outros também roubam bancos, isso não faz qualquer diferença em relação a sua culpa.” Que brilhante!Por fim, uma última pérola do Magistrado incompetente (nos termos do art. 70 do Código de Processo Penal): “É possível reconhecer, mesmo nessa fase, que, mesmo se existente, encontra-se em um nível talvez inferior da de corruptores, corrompidos e profissionais do crime.” Enfim, já estão todos condenados, ou como corruptores ou como corrompidos. E o que seriam mesmo “profissionais do crime“? Veja, ele próprio é um profissional do crime, ou não? Não é um Juiz criminal?Claro que a prática de um delito exige a punição pelo Estado (até que se encontre algo mais humano para se fazer com quem o fez e se procure entender porquê o fez), mas não se pode punir a qualquer custo. Há regras a serem observadas. Regras e princípios constitucionais. E no Brasil, hoje, isso não ocorre. E a Operação Lava-Jato é um exemplo muito claro disso. Vivemos um verdadeiro período de exceção. Hoje, não há Estado Democrático de Direito. Isso é balela! Conduz-se coercitivamente que não pode sê-lo. Invade-se domicílio que não pode ser invadido. Determina-se interceptações telefônicas de quem não pode ser interceptado. Prende-se quem tem imunidade constitucional. Ministro da Suprema Corte dá declarações em relação a processos que serão julgados pela Corte Constitucional (inclusive de natureza político-partidária, como Gilmar Mendes). Aqui faz o que o Judiciário quer ou o que o Ministério Público pede. Dane-se a Constituição Federal! Estamos vivendo dias verdadeiramente sombrios. A nossa única esperança, que era o Supremo Tribunal Federal, virou uma desesperança. Apelar mais para quem? Isso sem falar na pauta conservadora que assola o País. Vejamos, por exemplo, o prestígio de um Bolsonaro, um homem que não se envergonha de fazer homenagens a um torturador e menospreza uma conduta tão violenta quanto o estupro. Bem, mas aí é outro assunto.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Francisco cria a comissão para estudar a possibilidade de reconhecer a diaconia das mulheres. O buraco está mais embaixo!

O papa Francisco criou hoje (2) a Comissão de Estudos sobre Diaconisas, informou o Vaticano. O grupo é o primeiro do novo milênio a estudar a inclusão das mulheres presidindo algumas cerimônias litúrgicas.De acordo com o documento divulgado, 12 pessoas farão parte do comitê de leigos e religiosos, sendo seis mulheres, e o grupo terá como presidente o monsenhor Luis Francisco Ladaria Ferrer, que atualmente é secretário da Congregação para a Doutrina da Fé. Entre as mulheres que participarão da Comissão, está a professora da Universidade La Sapienza, de Roma, Francesca Cocchini, e a professora de Teologia na Universidade de Viena e membro da Comissão Teológica Internacional, Marianne Schlosser, além de religiosos e professores de universidades da França, Nova York e Madri. Segundo o pontífice, o grupo terá como missão estudar o que eram os diaconatos femininos na igreja primitiva, que são mencionados em algumas passagens bíblicas. "O que eram esses diáconos femininos? Elas tinham ordenação ou não? Era um pouco obscuro. Qual era o papel das diaconisas naquela época? Constituir uma comissão oficial que possa estudar questão?", disse a 900 mulheres que foram a uma audiência, em maio, no Vaticano. Elas questionaram Francisco sobre os papéis das mulheres na Igreja. O assunto de incorporar as mulheres em ritos é um tema caro ao papa Francisco. Por diversas vezes, ele mencionou que elas deveriam ter mais espaço na Igreja Católica. Segundo historiadores, a falta de mulheres no sacerdócio seria referente ao fato de não haver presença feminina no momento da Santa Ceia de Jesus Cristo. O ato instituiu a eucaristia, a divisão do pão e do vinho como o corpo e sangue de Jesus para os cristãos católicos. Porém, Jorge Mario Bergoglio já desconstruiu um pouco esse conceito ao, na páscoa deste ano, incluir - pela primeira vez na história - a presença de mulheres no rito de lava-pés, um dos mais importantes para os católicos.

Comentário do blogueiro - Haveria de se perguntar se está tão claro assim, desde um ponto de vista histórico, que Jesus instituiu o sacerdócio ministerial na última ceia com todas as características que possui hoje, na prática e no entendimento clássico da igreja. Se a última ceia coincidiu com a Páscoa judaica - como tudo leva a crer, - é óbvio que não havia só homens, pois o próprio ritual exige presença de 'famílias' (crianças, mulheres e idosos....) Se nos mantemos no nível da mera 'imitação fundamentalista' dos gestos de Jesus (que também eles são filtrados e interpretados pelas primeiras comunidades....) como explicar que o sacerdócio seja, por exemplo,  'por toda a vida', sendo que Jesus nunca falou disso. Como explicar que o candidato seja solteiro e que tenha que entender de teologia dogmática sendo que Jesus só queria 'pessoas misericordiosas e compassivas, dedicadas' e nada mais? Nisso, as mulheres na nossa igreja nos dão uma verdadeira aula de vida evangélica exemplar!

Prefeitura de Maricá - Brasil - a única que não cobra transporte urbano. Candidatos olhem as experiências bonitas que existem nesse País!!!!

É simples entender o fenômeno da popularidade do prefeito petista de Maricá.É que sua gestão usa os recursos públicos exclusivamente para melhorar a vida do povo, dos que necessitam do governo, o que não é caso das classes média e alta. É comum ouvir do prefeito durante comícios a confissão de que, de fato, não governa para todos, mas sim para os pobres. Maricá é a única cidade do Brasil com mais de 100 mil habitantes que instituiu a tarifa zero no transporte coletivo. Os ônibus da prefeitura, conhecidos como "vermelhinhos", cruzam a cidade dia e noite sem cobrar nada de ninguém. Maricá amplia cada vez mais o alcance da moeda social mumbuca, impactando diretamente na melhoria das condições de vida da parcela mais vulnerável da população. O prefeito trouxe, em parceria com o governo federal, o programa Minha Casa, Minha para a cidade. Atingidos por um enchente terrível, os moradores dessas unidades contaram com a ajuda do governo municipal para comprar eletrodomésticos danificados pelo aguaceiro. Centenas de quilômetros de ruas foram asfaltadas na cidade. Os serviços públicos funcionam e os servidores recebem em dia. Realidade bem diferente da situação caótica vivida pelo governo do estado do Rio de Janeiro e da penúria de vários municípios. A prefeitura tem assumido até o financiamento de serviços do governo estadual, como a UPA. A inauguração do Hospital Municipal Doutor Ernesto Che Guevara, prevista para os próximos meses, alçará o município à condição de referência na região em termos de atendimento de saúde. Essas realizações se refletem nas pesquisas de opinião que conferem ao prefeito altos índices de aprovação. Por não querer andar para trás, o eleitor de Maricá aponta Fabiano Horta como o grande favorito para vencer as eleições de outubro. (Blog do Bepe)

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

TEMER OLÍMPICO - Já vão ensaiando as vaias e a falta de saudação ao golpista

Alejandra Benitez, uma das maiores atletas de seu país na atualidade, disse que não irá saudar Michel Temer na abertura da Olimpíada; "Lamento porque pensava que ia passar pelo estádio e iria saudar a Dilma, como presidente da República. Mas agora há um golpista. Eu não vou saudá-lo, por exemplo, porque é um golpista. Não sei se todos os venezuelanos vão, mas eu não vou. Passarei diretamente porque ele é um golpista, e os golpistas são antidemocráticos. Eu sou pela democracia e pela Justiça. Queria ver a Dilma, e não vou a saudá-lo", afirmou

   A abertura da Olimpíada só acontecerá na sexta-feira 5, mas os ensaios acontecem a todo vapor, incluindo o da vaia esperada contra o presidente interino e contra o golpe; na semana passada, em um dos ensaios do evento de abertura, no estádio do Maracanã, assim que o nome de Michel Temer foi citado pelo locutor, os participantes do ensaio entoaram uma sonora vaia ao peemedebista; abertura dos Jogos Olímpicos promete colocar o golpe contra a presidente eleita Dilma Rousseff mais uma vez em evidência na mídia mundial.

LETÍCIA SABATELLA vítima do ódio dos coxinhas fascistas

Em declaração por vídeo ao jornal Brasil de Fato após ter prestado depoimento no 1º Distrito Policial em Curitiba, neste domingo, onde registrou B.O. por injúria depois de ter sido chamada de "puta", "sem-vergonha" e outros nomes apenas por ser contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a atriz Letícia Sabatella descreve que o ato contra o golpe em que esteve foi "amoroso" e "as pessoas estavam felizes", enquanto no protesto a favor do impeachment, "eles criaram uma energia" negativa; "Eu sinto muito por eles estarem vendo as coisas dessa maneira, com tanto ódio"; ela disse ainda que "há tantas pessoas sofrendo consequências desse golpe que está acontecendo no Brasil", que não sentiu que o episódio ocorrido com ela "era pior"; "Que pena, não dá mais pra conversar com as pessoas. Parece uma gana por esse ódio".