quarta-feira, 21 de junho de 2017

LULA, o 'criminoso' sem crime

"Para os diligentes investigadores da Lava Jato, título de propriedade não tem nenhum valor legal. Para eles, o fato de o documento de propriedade do imóvel do Guarujá não estar em nome de Lula, mas da OAS – pasmem! – configura crime do ex-presidente. Ou seja, para Dallagnol, ele é criminoso de qualquer maneira, com ou sem documento", afirma o jornalista Ribamar Fonseca; o colunista do 247 questiona: "Será que os diligentes procuradores da Lava Jato imaginam que os brasileiros são imbecis, para aceitarem semelhante argumentação? Será que o juiz Sergio Moro, que não viu dolo nas contas na Suíça da mulher do ex-deputado Eduardo Cunha, vai aceitar semelhante peça, desprovida de qualquer prova, para condenar Lula?"
"Enquanto se aguarda, a qualquer momento, pela sentença de Sérgio Moro sobre a denúncia do triplex, defesa mostra documento que prova que o apartamento não pertence a Lula", escreve Paulo Moreira Leite, articulista do 247. "Um 'contrato de 'cessão fiduciária de direitos creditórios', negociado entre a OAS e a Caixa, mostra que o apartamento 164-A é propriedade da empreiteira, que deverá depositar os recursos obtidos com sua venda numa conta da estatal." Descoberto pelos advogados de Lula num cartório de Salvador, o contrato mostra o caráter insólito da investigação, onde a defesa é obrigada a encontrar provas da inocência de seu cliente – quando o Direito ensina que cabe à acusação provar o que diz

terça-feira, 20 de junho de 2017

Guajajara do Pindaré paralisam a BR 316 e exigem dignidade por uma Educação de Qualidade


MANIFESTO DOS PAIS, PROFESSORES E ALUNOS GUAJAJARA DO PINDARÉ E CARU

Porque estamos nos mobilizando mais uma vez? Para que a EDUCAÇÃO INDÍGENA no Maranhão seja implantada e implementada com responsabilidade e em pleno atendimento aos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Maranhenses, pois temos sofrido ano após ano, governo após governo, um descaso generalizado com a gestão pública e com os direitos educacionais dos Povos Indígenas no Estado do Maranhão. Atualmente, os descasos só aumentam e causam a cada dia, mais violações de Direitos Humanos a todos nós Indígenas. A precariedade da educação indígena vai desde a efetivação do PNAE (que não acontece em concordância com o calendário das escolas indígenas), de material escolar, de transporte escolar, de cadeiras e mesas nas escolas, da falta de construção e reformas de escolas, de assistência técnica qualificada e humana da Secretaria de Estado da Educação, da falta de diálogo republicano, técnico de alto nível da SEDUC, da falta de respeito para com os direitos básicos e fundamentais dá educação indígena, do não funcionamento do Conselho Estadual de Educação Indígena, das discriminações contra os povos Indígenas, do não cumprimento e Implementação do TAC DA EDUCAÇÃO INDÍGENA, do Estado violador de direitos humanos. É nessa situação muito preocupante que estamos vivenciando no Maranhão e a falta de professores suficientes e qualificados em nossas escolas, principal motivo deste requerimento, situação a qual tem nos trazido nos últimos anos e dias, prejuízos irreparáveis às nossas comunidades indígenas, o que passamos a detalhar a seguir. 
Acontece, que desde a responsabilização do Estado do Maranhão com a Educação Escolar Indígena, através do Decreto Presidencial nº 26/91, o quadro docente das escolas indígenas é “mantido” por meio de Contratação Temporária, processo o qual, a SEDUC vem mantendo até hoje, somente adaptando-o através de processo seletivo, acontecendo prorrogações, tudo isso questionado por muitas comunidades indígenas. O fato é que, todos os anos as escolas paralisam suas atividades pelo simples fato de a SEDUC nunca conseguir realizar o processo seletivo e/ou prorrogação em tempo hábil, de forma a não deixar as atividades letivas paralisadas, prejudicando, assim, a vida escolar de centenas de alunos, onde, podemos dar como exemplo, a triste situação que estamos vivenciando desde o dia 10/04/2017, na qual, algumas escolas estão funcionando de forma parcial, como é o caso das da Terras Indígenas Pindaré e Carú, por falta de professores, porque no dia 08/04/2017 o contrato da maioria dos professores venceu e até agora continuamos sem resolução do problema. Para piorar, a SEDUC só tem apresentado prazos e mais prazos e não cumpriu nenhum até agora. Tendo como último prazo publicado ou divulgado, ( EDITAL Nº 34/2017-SEDUC), prevendo a solução da situação após o dia 17/07/2017, já que republicaram o edital e reabriram as inscrições por mais uma semana (sendo que esta já é a 2ª (segunda prorrogação) das inscrições do edital em tramitação), somando-se mais de 3 meses de paralisação das atividades e dificultando a cada dia a possibilidade de reposição dos dias letivos, sem prejudicar o ano letivo seguinte. E o problema pode se agravar ainda mais, quando em Novembro/2017 vencerá o contrato dos docentes que estão em atividade, visto que, ao invés de a SEDUC ter realizado um só seletivo em abril de 2016, optou por renovar alguns contratos e realizar seletivo com um grupo de professores não seletivados para supostamente atender às demandas das escolas indígenas, porém nem com a realização de tal seletivo em 2016, resolveu-se tais demandas e necessidades. 
Em números, apresentamos o seguinte diagnóstico das escolas indígenas da Terra Indígena Pindaré e Carú: de uma demanda existente de 78 (setenta e oito) professores, somente 27 (vinte e sete) docentes foram contratados até o momento. Reivindicamos providências urgentes, pois é inadmissível que continuemos sendo enganados e violados pelos governos do Maranhão, que vêm demonstrando total descaso com a pauta e os direitos dos Povos Indígenas.



domingo, 18 de junho de 2017

Dono da FRIBOI 'O Temer é o chefe da Orcrim da Câmara. Temer, Eduardo, Geddel, Henrique, Padilha e Moreira. É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto. Essa turma é muita perigosa

.......................
ÉPOCA – O senhor não pagou?
Joesley – Nesse tipo de coisa, não. Tinha alguns limites. Tinha que tomar cuidado. Essa é a maior e mais perigosa organização criminosa deste país. Liderada pelo presidente.

ÉPOCA – O chefe é o presidente Temer?
Joesley – O Temer é o chefe da Orcrim da Câmara. Temer, Eduardo, Geddel, Henrique, Padilha e Moreira. É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto. Essa turma é muita perigosa. Não pode brigar com eles. Nunca tive coragem de brigar com eles. Por outro lado, se você baixar a guarda, eles não têm limites. Então meu convívio com eles foi sempre mantendo à meia distância: nem deixando eles aproximarem demais nem deixando eles longe demais. Para não armar alguma coisa contra mim. A realidade é que esse grupo é o de mais difícil convívio que já tive na minha vida. Daquele sujeito que nunca tive coragem de romper, mas também morria de medo de me abraçar com ele.

ÉPOCA – No decorrer de 2016, o senhor, segundo admite e as provas corroboram, estava pagando pelo silêncio de Eduardo Cunha e Lúcio Funaro, ambos já presos na Lava Jato, com quem o senhor tivera acertos na Caixa e na Câmara. O custo de manter esse silêncio ficou alto demais? Muito arriscado?
Joesley – Virei refém de dois presidiários. Combinei quando já estava claro que eles seriam presos, no ano passado. O Eduardo me pediu R$ 5 milhões. Disse que eu devia a ele. Não devia, mas como ia brigar com ele? Dez dias depois ele foi preso. Eu tinha perguntado para ele: “Se você for preso, quem é a pessoa que posso considerar seu mensageiro?”. Ele disse: “O Altair procura vocês. Qualquer outra pessoa não atenda”.  Passou um mês, veio o Altair. Meu Deus, como vou dar esse dinheiro para o cara que está preso? Aí o Altair disse que a família do Eduardo precisava e que ele estaria solto logo, logo. E que o dinheiro duraria até março deste ano. Fui pagando, em dinheiro vivo, ao longo de 2016. E eu sabia que, quando ele não saísse da cadeia, ia mandar recados.

Orcrim = Organização criminosa

O imberbe Dallagnol cobra R$ 40.000 por palestra mas acha que era Lula que cobrava caro para lavar grana!

Lula chegou a ser apontado como o "grande general" da organização criminosa que teria governado o país durante a gestão do PT, segundo o procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato. Na noite de sexta-feira 16, o jornalista Xico Sá ao compartilhar a divulgação da capa da revista Época, em que, numa entrevista, o empresário Joesley Batista acusa Michel Temer de ser chefe da "maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil" ele pergunta: "Mas o chefe não era o Lula?"
O imberbe procurador Dallagnol para arrendondar o seu parco salário federal ele vem cobrando R$ 40.000 por palestra. Alguém acha urgente que haja uma reforma trabalhista com esse cara que pago com dinheiro público usa material de representações e processos para enriquecer e especular sobre a vida de pessoas públicas sem oferecer uma única e irrefutável prova. Vergonha....entregue-se a Jesus, cara!

Dono da Froboi confirma que Lulinha nunca foi dono ou sócio. E agora seus trouxas....comam a língua!

A entrevista bombástica do empresário Joesley Batista, em que ele apontou Michel Temer como chefe da "maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil", também serviu para desmontar uma lenda urbana: a de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus parentes seriam sócios da JBS, dona da marca Friboi; num determinado trecho, o jornalista de Época questiona por que Joesley nunca gravou Lula e a resposta veio direta: "porque eu nunca tive uma conversa não republicana com o Lula"; Joesley disse ainda que só esteve com Lula uma única vez enquanto ele foi presidente – o encontro ocorreu em 2006, quando assumiu o comando da empresa; em sua nota, Temer diz que Joesley protegeu o PT, alegando que a JBS que a empresa cresceu no governo Lula e não no dele; a realidade, no entanto, mostra que praticamente todas as empresas brasileiras cresceram com Lula e afundaram com o golpe

Em nota, o chefe da mais perigosa gangue,TEMER-ário, admite 'pequenos crimes'....e nada fez. Isso não é crime de responsabilidade?

Num dos trechos da nota oficial em que ataca o empresário Joesley Batista, que o acusou de ser o líder da "maior e mais perigosa organização criminosa" do Brasil, Michel Temer deu um tiro no pé e confirmou crimes de responsabilidade apontados em seus 14 pedidos de impeachment – um deles apresentado pela Ordem dos Advogados do Brasil; "Ao delatar o presidente, em gravação que confessa alguns de seus pequenos delitos, alcançou o perdão por todos seus crimes", diz a nota palaciana; Temer não só confirma os diálogos, como também admite nada ter feito e classifica como "pequenos delitos" saber que Joesley estava segurando juízes e procuradores, assim como comprando o silêncio de Eduardo Cunha; "Mesmo que o áudio tivesse alguma edição, as duas declarações públicas de Temer confirmam o teor do diálogo. E isso que é indiscutível. A decisão da OAB levou mais em consideração o fato de o presidente ter escutado tudo que escutou e não ter feito nada em relação a isso", diz Claudio Lamachia, presidente da OAB

Justiça acorda - Moro tem 15 dias para explicar o inexplicável, a liberação dos áudios ilegais da presidente Dilma

O juiz federal Sérgio Moro terá 15 dias para explicar à Corregedoria Nacional de Justiça porque deu autorização para divulgar conversa telefônica entre o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma Rousseff em março de 2016.Moro não tinha autorização judicial para gravar qualquer conversa de Dilma. Por não haver a autorização da Justiça, a gravação de diálogos presidenciais configura crime contra a segurança nacional. Na ocasião, Moro divulgou as conversas na véspera de Lula tomar posse como Ministro da Casa Civil e a gravação foi vazada para o Jornal Nacional. O corregedor nacional da Justiça, João Otávio de Noronha, adiou o julgamento do processo para ouvir o juiz federal.  

sábado, 17 de junho de 2017

Quarta palavra que liberta – Cuide e respeite seus pais para que se prolonguem seus dias na terra da liberdade. (Ex.20, 12)

Na década de 70, o povo Ka’apor do Maranhão que ocupava as matas do Alto Rio Turiaçu, vivia encurralado. Milhares de famílias fugindo da seca do Nordeste, e atraídas pelos projetos de colonização, começavam a ocupar a região do Alto Turiaçu, berço do povo Ka’apor desde 1820.  Naqueles anos de tensão e conflitos os Ka’apor chegaram à drástica decisão de não ter filhos. Mais tarde explicaram não queriam procriar filhos que tivessem que viver fugindo o tempo todo, e serem submetidos a todo tipo de perseguição. O governo federal, na época, agiu bastante rapidamente e em 1982 demarcava definitivamente as terras dos Ka’apor. No ano seguinte, em 1983, ao visitar pela primeira vez a aldeia Ximborendá, bem próxima de Santa Luzia do Paruá, constatava que 80% das mulheres em idade fértil estavam grávidas. A garantia da terra, a paz restabelecida, e algumas melhorias na assistência médica proporcionaram aos Ka’apor aquela segurança que antes não tinham. Temos aqui um autêntico caso de ‘paternidade responsável’. Ser pais, para eles, não significava simplesmente ‘fazer filhos’, mas se comprometerem em oferecer às novas criaturas verdadeiros espaços de liberdade e de segurança. Pelo contexto bíblico da quarta palavra revelada a Moisés, entendemos que os pais eram, antes de tudo, aqueles líderes sociais que engendravam, biológica e moralmente, pessoas para a liberdade. Homens e mulheres que educavam especificamente as novas gerações a não se conformarem com a escravidão em que viviam, mas a sonharem, sistematicamente, com uma terra própria e livre. Pais e mães que, mesmo perseguidos e torturados, insistiam em moldar ‘filhos e filhas, cidadãos e cidadãs’ para a rebeldia e a resistência contra o ‘falso pai da nação’, o Faraó. Daí o convite divino a ‘honrar, reverenciar e imitar’ aqueles pais que desmascaram as pretensas paternidades de governantes inescrupulosos e escravagistas que ontem, como hoje, se apresentam como pais do povo, mas que são, na realidade, seus opressores e homicidas. Apoiar, e caminhar ao lado daqueles que formavam para a plena liberdade e a autonomia, significava para o povo de Moisés, ter garantia plena de ‘permanecer por longos dias na terra que o Senhor lhes estava dando (20,12). 
A quarta palavra nos diz que só teremos um futuro livre e duradouro ‘numa vida/terra espaçosa que o Senhor nos dá’ se soubermos agir como esses pais. Se soubermos cuidar deles e do patrimônio de valores que nos deixaram. Da mesma forma que vem ocorrendo, hoje em dia, com os filhos dos filhos dos Ka’apor, de lavradores, de líderes sociais, de pais trabalhadores que continuam resistindo aos manipuladores inescrupulosos da mesma forma que seus pais. Pai e mãe não são os que geram filhos numa aventura amorosa passageira. Nem aqueles que são obrigados a assumir a sua paternidade pelos resultados dos exames de DNA, e nem porque emprestam legalmente seus nomes nos registros de nascimento. Pais são aqueles que transferem para nós o DNA da sua capacidade de lutar e resistir aos escravocratas de todas épocas.  Pais de verdade são os ser lideres dedicados de comunidade, padrinhos amorosos, tias ou vizinhas que movidas pelo afeto e a compaixão lutam ao nosso lado. A esses pais, mestres em humanidade, devemos devoção e amor sem fim, pois eles não reproduzem a autoritária paternidade do Faraó! Na sociedade atual, entretanto, até as pessoas são consideradas mercadoria descartável. Quanto mais, pais idosos e doentes! Muitas vezes são considerados um estorvo, e não um patrimônio moral a ser transmitido e reproduzido. Aumenta, vergonhosamente, a cada dia, o número de casas de repouso e de abrigos insalubres em que os que engendraram vidas e valores são ‘vergonhosamente armazenados’. Com muita leviandade nós filhos nos esquecemos do que o autor do Eclesiastes já nos dizia 2.700 anos atrás: ‘Meu filho, ajuda a velhice de teu pai, não o desgostes durante a sua vida. Se seu espírito desfalecer, sê indulgente, não o desprezes porque te sentes forte, pois tua caridade para com teu pai não será esquecida’. (Ecl.3,14-15)

XI domingo comum – Sem compaixão não há missão! (Mt.9,36- 10,8)


A compaixão é o primeiro passo para ir ao encontro do outro. Compaixão é uma mistura de indignação e coração mole. É sentir em suas próprias ‘entranhas’ (assim é o verbo na língua original) o que o outro sente. Alegrar-se e esperar com quem se alegra, chorar e sofrer com quem sofre. Sem essa capacidade de viver em nós mesmos os sentimentos dos outros não conseguiremos sentir o apelo permanente de Jesus a sair de nós mesmos e fazer causa comum com as pessoas/ovelhas perdidas e desgarradas. Foi isso que Jesus sentiu ao ver o seu povo abandonado e desprotegido, entregue a mercenários e lobos famélicos. 

Jesus, entretanto, sabia que só sentir não é suficiente. Era preciso intervir, planejar e realizar ações de solidariedade e de mobilização. Entendia também que sozinho não teria dado conta do recado. Jesus motiva e convoca ‘doze pessoas’ pois o número 12 é símbolo de totalidade. Indica que estava chamando a todos, a nação toda! O nosso País, hoje, parece um rebanho sem pastor. As ovelhas servem para alimentar lobos e mercenários. Os ‘12’ hoje somos todos nós, 205 milhões de homens e mulheres, que sentem as entranhas se revoltando e devem se sentir chamados a ‘amparar os desempregados e desprotegidos, a limpar a lepra da corrupção e da indiferença, a dar vida nova a um rebanho de desesperançados’. 

terça-feira, 6 de junho de 2017

VOX POPULI /CUT - LULA ganharia no primeiro turno se a eleição fosse hoje!

Lula tem mais de 50% das intenções de votos. A solução para a maioria dos brasileiros é Lula. Se a eleição fosse hoje, Lula venceria o segundo turno do pleito com 52% das intenções de votos se o candidato tucano fosse Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que ficaria em segundo lugar, com 11% dos votos. Se o PSDB resolver apostar no discurso do novo ou da gestão marqueteira, Lula teria 51% dos votos no segundo turno e o prefeito João Doria, 13%. Lula também ganharia de Marina Silva (Rede) por 50% a 15%. Se o candidato for o Aécio, Lula sobe para 53% e Aécio teria 5%.

Lula também é imbatível nas consultas espontâneas sobre intenções de voto, quando o entrevistador não mostra nenhum nome na cartela. O levantamento CUT/Vox Populi, aponta que 40% dos brasileiros votariam em Lula se a eleição fosse hoje - em abril o percentual era de 36%. Em segundo lugar, bem distante, vem Jair Bolsonaro (PSC) com 8% das intenções de voto – tinha 6% em abril. Já Marina Silva (Rede) e o juiz Sérgio Moro empatam em 2%. Lula é igualmente o preferido por idade, escolaridade, renda e gênero.

Tem 48% das intenções de votos entre os jovens, 44% entre os adultos e o mesmo percentual (44%) entre os maduros. Quanto a escolaridade, 55% dos eleitores com ensino fundamental votam Lula, 40% ensino médio e 29% ensino superior. Quando separados por renda, o cenário se repete: votam em Lula 58% dos que ganham até 2 salários mínimo, 41% dos que ganham entre 2 e 5 mínimos e 27% dos que ganham mais de 5 salários mínimos. A pesquisa CUT/Vox foi realizada em 118 municípios do Brasil de todos os Estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior. Foram entrevistadas 2000 pessoas com mais de 16 anos. (Vox Populi)

O empresário Emílio Odebrechet afirma perante Moro que Lula NUNCA tratou de valores....

O empresário Emílio Odebrecht afirmou, em seu depoimento ao juiz federal Sério Moro, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nunca tratou de valores nas reuniões que teve com ele, mas reconheceu que que Lula teria pedido contribuições para campanhas políticas. Segundo o empresário, "todos os presidentes do Brasil e do exterior" faziam esse tipo de pedido. Emílio relatou, ainda, que sua relação com Lula era mais cerimoniosa. Ele poderá ser ouvido novamente esta semana uma vez que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) acatou pedido da defesa de Lula, que reclamou não ter acessado a vários documentos que foram incluídos na véspera do depoimento. 

Ainda segundo Emílio Odebrecht, os valores da doação eram feitos entre executivos da empreiteira e representantes do PT. Ele afirmou que o ex-ministro Antonio Palocci era o responsável por tratar dos valores a serem doados. Estas negociações teriam resultado na criação de uma conta-corrente que teria movimentado cerca de R$ 300 milhões. Emílio destacou que seu filho, Marcelo Odebrecht, pediu para tratar dos valores finais do acerto diretamente com Lula, o que foi negado. Alexandrino Alencar, também relatou não ter tratado de valores com Lula e afirmou não ter participado da compra de um imóvel para abrigar a sede do Instituto Lula. Segundo ele, após o prédio ser comprado pela empreiteira, Lula recusou receber o imóvel. Marcelo Odebrecht teria então pedido sua ajuda para encontrar um novo local, o que acabou não prosperando.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Senador Perrella, amigo de Aecim, - o da meia tonelada de cocacína, - afirma em grampo que 'não faz nada errado, só trafica drogas'! E Aecim ri...

Um grampo da Polícia Federal no âmbito da Lava Jato registrou Aécio Neves dando uma bronca em Zezé Perrella por falta de lealdade, na época em que o senador tucano apareceu como um dos mais implicados na chamada lista de Janot 2.0 - um pacote de pedidos de inquérito ao Supremo Tribunal Federal com base nas delações da Odebrecht. O grampo foi divulgado por alguns portais na noite de segunda (29), mas a maioria usou o áudio editado. Na íntegra da gravação, Perrella diz que só se vangloriou de não estar na lista de Janot porque poderia usar isso para dizer que estava "limpo" àqueles que até hoje questionam seu envolvimento com o episódio do helicóptero apreendido com quase meia tonelada de pasta de cocaína, em 2013. Por volta dos 2 minutos e 50 segundos, Perrella, então, comentou: "Eu não faço nada de errado, eu só trafico drogas", e Aécio, em resposta, dá uma risada tímida. Em seguida, Aécio disse que buscou Perrella para conversar porque eles estão no "mesmo campo político" e precisam manter a união. "Se a gente começar a nos separar e começar cada um achar que se salva sozinho, acabou amigo." Aécio disse a Perrela que não precisa "provar" o quanto o ajudou "na vida" e é pela relação de "amizade" que se deu a liberdade de dizer que poucas vezes viu uma declação "tão escrota" quanto a que foi publicada pela Rádio Itatiaia. "[Perrella] Colocou todo mundo no mesmo mar de lama", disse Aécio. "Não fica chateado, não, você sabe que eu te adoro", afirmou Perrella, prometendo dar uma declaração à rádio em favor de Aécio e Antonio Anastasia. "Tá bom. Mas foi por isso que eu te liguei. Eu te adoro também. Se na hora que a gente tá tomando porrada pra caralho não aparecer um amigo, olha...", rebateu Aécio. No início da conversa - no trecho divulgado por alguns portais - Aécio disse que Perrella não pode se distanciar dos investigados por caixa 2 na Lava Jato porque sua campanha foi financiada "exatamente como a minha e do Anastasia". (Fonte: GGN)

Anastasia, atualmente senador, foi governador de Minas e foi relator do processo de impeachment de Dilma. Os golpistas se revelam por aquilo que sempre foram...'bandidos e escrotos...'

segunda-feira, 29 de maio de 2017

QUO VADIS? .....Coxinhas?


A atriz Renata Sorrah postou em seu Twitter uma mensagem aos chamados "coxinhas", aqueles que defenderam cegamente o golpe contra a presidente deposta Dilma Rousseff e embarcaram no movimento liderado pelo senador Aécio Neves; "Você é o próprio bichinho de estimação do bandido. Votou no Aécio, foi pras ruas protestar contra a derrota que sofreu, balançou o rabinho para a aliança dele com Cunha e Temer, fez dancinha pedindo o impeachment da Dilma, rosnou nas redes sociais. E agora, quando a casa caiu, se finge de morto. Bem adestrado", disse Sorrah; a voz da atriz surge no momento em que artistas e apresentadores, como Luciano Huck e Márcio Garcia, que apoiaram Aécio, agora, envergonhados e decepcionados, demonstram decepção com o senador mineiro; principal articulador do golpe, Aécio Neves hoje está atolado em denúncias, afastado da presidência do PSDB, além de ser acusado de cometer diversos crimes (Brasil 247)

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Brasil, a um passo da ditadura.....

O Decreto do governo que determina "o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem no Distrito Federal no período de 24 a 31 de maio de 2017" afronta o Estado de Direito e torna verossímil o risco de uma escalada ditatorial no país.Temer é um presidente ilegítimo e corrupto. Ele e mais de 70% dos ministros são investigados por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa – cometidos tanto no atual mandato como antes. Temer não possui, por isso, a menor possibilidade de continuar no cargo para o qual não foi eleito e a partir do qual, juntamente com os partidos que deram o golpe e o apoiam, promove o mais brutal ataque aos direitos do povo brasileiro, à economia nacional e à soberania do país. Temer se recusa a renunciar. A renúncia poderia ser a única anotação de grandeza numa biografia irremediavelmente manchada pela trajetória de conspirador, corrupto e integrante de uma organização criminosa que faz da política um passaporte para a prática do crime. Enquanto reluta em renunciar, ele vê o país se desmanchar na depressão econômica, no caos humanitário, na desordem institucional e no conflito que poderá evoluir para grave violência social. 
No desespero para se manter a qualquer custo na presidência, o irresponsável Temer traz as Forças Armadas para o centro da crise e deixa o Brasil a um passo da ditadura. O pretexto para a escalada ditatorial segue o manjado roteiro que a direita observa para atentar contra a democracia: [1] infiltraram provocadores, vândalos e agentes policiais secretos na manifestação pacífica de mais de 150 mil participantes coordenada pelas centrais sindicais e movimentos sociais; [2] programaram a tolerância a atos de violência ao patrimônio público e à Polícia Militar perpetrados pelos agentes por eles mesmos infiltrados, e [3] invocaram o caos e a desordem por eles mesmos provocada para convocar as Forças Armadas. A continuidade de Michel Temer no Palácio do Planalto se tornou, com o episódio de hoje, uma séria ameaça à já avariada democracia brasileira. (Jeferson Miola)

O outro Brasil: repouso do guerreiro na ilha dos amores

Foto: JGS

BRASIL EM CHAMAS. ATÉ QUANDO A AGONIA?

"A marcha da classe trabalhadora foi o ocaso de Temer. A atuação da polícia foi uma tentativa de quebrar o brilho de uma manifestação justa e muito consequente", afirmou Adilson Araújo, presidente da CTB. Ele também passou mal após a ação dos agentes policiais do Distrito Federal, que investiu contra a marcha convocada pelas centrais sindicais. "Foi surreal", afirmou, mas sem demonstrar surpresa. "A gente não pode esperar muita coisa diferente do que vem acontecendo no Brasil. Assaltaram o governo, implementaram uma agenda liberal ao extremo... O governo ilegítimo, financiado por um consórcio golpista, foi demonstrando com o tempo não ter condição alguma de governabilidade."

Depois da péssima repercussão do decreto em que convocou as Forças Armadas, no que seria mais um crime de responsabilidade de Michel Temer, o chefe das Forças Armadas, general Eduardo da Costa Villas Bôas, lavou as mãos e disse que a polícia do Distrito Federal tem condições de garantir a lei e a ordem; "Acredito que a polícia deva ter ainda a capacidade de preservar a ordem. Ficamos em uma situação de expectativa caso algo fuja ao controle", declarou; abandonado, Temer já cogita revogar o decreto se as manifestações contra suas reformas em Brasília estiverem mais calmas até o fim da noite; o governo do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, também peitou Temer e diz que ele agiu fora da lei. 

Imagens divulgadas pelo site do jornal O Globo são reveladoras: mostram policiais militares do Distrito Federal sacando armas de fogo e atirando contra manifestantes durante o protesto desta quarta-feira na Esplanada dos Ministérios, que deixou mais de 50 feridos e uma pessoa baleada com arma de fogo; o registro foi do fotógrafo André Coelho

Polícia Militar e Civil mata mais 10 posseiros em Redenção Pará. Foi execução!

Conforme informações preliminares, dez posseiros – sendo 9 homens e 1 mulher – foram assassinados durante uma ação de reintegração de posse de um acampamento situado na Fazenda Santa Lúcia, no município de Pau d'arco, no Sudeste do estado do Pará. A reintegração era realizada pelas Polícias Civil e Militar de Redenção. As dez vítimas foram mortas na manhã desta quarta-feira, 24 de maio, durante o cumprimento de uma ação de reintegração de posse determinada pelo juiz da Vara Agrária de Redenção. Ainda segundo informações iniciais, o magistrado determinou que essa ordem fosse cumprida por policiais militares e civis. O juiz não se atentou para as orientações que constam na Cartilha da Ouvidoria Agrária Nacional e nas diretrizes do Tribunal de Justiça, que determinam que esse tipo de ação seja realizada por Batalhão da Polícia Militar especializado nestas situações. Equipe da Polícia Federal (PF) está se deslocando para a área onde ocorreu o conflito para verificar se há mais pessoas mortas ou feridas. Segundo veículos de comunicação da região, os corpos dos posseiros foram levados, inicialmente, para o necrotério do Hospital Municipal de Redenção, posteriormente devem ser transferidos para o Instituto Médico Legal (IML) do município de Marabá. A Comissão Pastoral da Terra (CPT) divulgou, há pouco mais de um mês, o seu relatório anual, Conflitos no Campo Brasil 2016, em que destacou os 61 assassinatos ocorridos no ano passado, o maior número já registrado desde 2003. E a violência não dá trégua em 2017. Até o momento, já são 26 pessoas assassinadas em conflitos no campo brasileiro – as mortes ocorridas hoje em Redenção ainda não constam nesta relação. E no último dia 19, completou-se um mês da Chacina de Colniza, no Mato Grosso, quando 9 trabalhadores rurais foram brutalmente assassinados por um grupo de homens encapuzados.

sábado, 20 de maio de 2017

O mineirinho Aecim entrou no TSE contra a eleição de Dilma só para....'ENCHER O SACO...'! Mas se pode?????!!!!

Molecagem. Essa foi a explicação do senador afastado Aécio Neves, ex-presidente nacional do PSDB, para a ação movida pelo seu partido no Tribunal Superior Eleitoral, logo depois que ele perdeu a disputa presidencial de 2014; “Lembra depois da eleição? Os filhas da p… sacanearam tanto a gente, vamos entrar com um negócio aí para encher o saco deles também”, disse ele ao empresário Joesley Batista, num dos grampos da Polícia Federal; molecagem de Aécio fez com que a economia brasileira afundasse 10% e com que mais de 7 milhões de brasileiros perdessem seus empregos; golpismo tucano também arruinou a imagem do Brasil, que passou a ser visto como uma gigantesca república bananeira; no próximo dia 6 de junho, o TSE retoma o julgamento da ação aberta por Aécio "só para encher o saco" (Brasil 247)

O guru dos tucano-coxinhas, FHC, agora defende a permanência de Temer-ário. 98% dos brasileiros são a favor da renúncia!

Menos de 48 horas depois de defender a renúncia de Michel Temer, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, um dos avalistas do golpe de 2016, decidiu jogar no lixo o que ainda restava de sua biografia; à Rádio Bandeirantes, ele voltou atrás e passou a defender a permanência de Temer, alegando que os áudios estarrecedores ainda não são decisivos; FHC também disse que Aécio Neves, apontado pelo STF como "risco à ordem pública", terá condições de "provar sua inocência"; não se sabe se o recuo de FHC se deve ao fato de todo o PSDB estar nas delações ou por medo de alguma revelação sobre sua própria participação no golpe de 2016; enquanto 98,5% dos brasileiros querem diretas-já, FHC decidiu ficar com o 1,5% que ainda apoia o golpe. 

Senador Requião ' Governo enloqueceu. A cúpola desse governo vai toda para a Papuda' (prisão)

De Florença, onde preside a reunião do Eurolat, o senador Roberto Requião (PMDB) afirmou que as revelações da JBS serão responsáveis pela prisão não só de Temer, mas de toda a cúpula do seu governo; "O governo enlouqueceu. Essa cúpula toda vai para a Papuda", diz Requião; senador lançou um manifesto conclamando ao partido — e a nação — à luta pelas eleições Diretas Já para presidente da República; documento é aberto à adesões de peemedebistas e de brasileiros preocupados com a crise política e moral do país; nele, Roberto Requião (PMDB-PR) afirma que “a pátria está em risco; os brasileiros, atordoados por uma sequência de acontecimentos catastróficos, esperam, aguardam, anseiam pela remição desse caos

Deputado alagoano sofreu 'assedio político' de Temer-ário para vender apoio às reformas do governo

Deputado federal Givaldo Carimbão, do PHS de Alagoas, revelou mais um crime para a folha corrida de Michel Temer, que já investigado por corrupção, associação criminosa e obstrução da Justiça, com base nas revelações da JBS; parlamentar disse que o Michel Temer tem comprado deputados para aprovar as reformas trabalhista e previdenciária; "Para aprovar a reforma Trabalhista e da Previdência, Michel Temer está comprando deputados na Câmara Federal. Ele [Temer] me propôs escolher cargos em Alagoas. Eu poderia escolher qualquer cargo e a presidência ainda me liberaria emendas para adquirir tratores e outros veículos para a agricultura familiar. Prontamente, respondi que ele ficasse com o dinheiro e cargos, pois preferia a aposentadoria do trabalhador", denunciou Carimbão, que defende eleições diretas para presidente

sexta-feira, 19 de maio de 2017

CNBB pede saída democrática para a grave crise política no País

Os membros da Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), emitiram na manhã desta sexta-feira, 19 de maio, uma Nota Oficial com o título “Pela Ética na Política” na qual afirmam que a Conferência está “unida aos bispos e às comunidades de todo o país” e acompanha “com espanto e indignação” as graves denúncias de corrupção política acolhidas pelo Supremo Tribunal Federal. Na Nota, os bispos afirmam que “tais denúncias exigem rigorosa apuração, obedecendo-se sempre as garantias constitucionais. Apurados os fatos, os autores dos atos ilícitos devem ser responsabilizados. A vigilância e a participação política das nossas comunidades, dos movimentos sociais e da sociedade, como um todo, muito podem contribuir para elucidação dos fatos e defesa da ética, da justiça e do bem comum”. “Além disso, é necessário que saídas para a atual crise respeitem e fortaleçam o Estado democrático de direito. Pedimos às nossas comunidades que participem responsável e pacificamente da vida política, contribuam para a realização da justiça e da paz e rezem pelo Brasil”, concluem os membros da Presidência.

Comentário - A CNBB costuma ser mais corajosa nessas circunstâncias. Positivo o fato de se posicionar nesse momento grave e histórico do País...Poderia ter apontado com humildade um possível desfecho, como por exemplo exigir a renúncia do presidente e convocação de Diretas já. Seria mais coerente....

Joaquim Barbosa pede POVO NA RUA PEDINDO A RENÚNCIA DO USURPADOR GOLPISTA....

Com a autoridade de quem presidiu o Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa conclamou os brasileiros a saírem às ruas contra a humilhação nacional e internacional que significa ter na presidência da República um indivíduo pego em flagrante cometendo vários crimes; "Não há outra saída: os brasileiros devem se mobilizar, ir para as ruas e reivindicar com força a renúncia imediata de Michel Temer", afirmou Barbosa, em sua conta no Twitter; "Isoladamente, a notícia extraída de um inquérito criminal e veiculada há poucas semanas, de que o sr Michel Temer usou o Palácio do Jaburu para pedir propina a um empresário seria um motivo forte o bastante para se desencadear um clamor pela sua renúncia"

TEMER-ÁRIO recebia propina desde 2010 diz dono da JBS e dono da Suzano pede saída imediata do usurpador sem legitimidade

Mais uma bomba atinge Michel Temer, que ontem falou em rede nacional prometendo não renunciar; segundo a delação de Joesley Batista, da JBS, Temer recebe propinas regularmente desde 2010; ou seja: além dos flagrantes de obstrução judicial e vazamento da taxa de juros do Banco Central, ele também foi acusado de corrupção sistemática por parte do empresário; diante do escândalo, a economia brasileira derrete e até aliados de Temer o abanam.

Sem legitimidade, uma vez que fruto de um golpe parlamentar, sem aprovação popular e sem apoio da Globo, que o abandonou, Michel Temer perde também a adesão do PIB nacional; nesta sexta-feira, quem quebrou o silêncio foi o empresário Walter Schalka, presidente do grupo Suzano, um dos principais conglomerados industriais do Brasil; "A pior alternativa é a permanência de Temer sem legitimidade e sem credibilidade", disse ele; Schalka afirma que Temer terá de sair de qualquer maneira – seja por renúncia, impeachment ou cassação da chapa; "O pessoal está vendendo Brasil", lamenta. (Brasil 237)

quinta-feira, 18 de maio de 2017

XÔ SATANÁS. O teu fim está decretado!

Flagrado dando aval a um crime de obstrução judicial, no qual avaliou a compra do silêncio de Eduardo Cunha, Michel Temer se reuniu com um grupo de parlamentares nesta manhã e disse que não irá cair; sua morte, no entanto, já foi decretada por todas as forças políticas e até pela Globo, que era seu principal pilar de sustentação; ontem, multidões foram às ruas para celebrar a queda do golpe Temer-Aécio com faixas de "Xô, Satanás", fazendo alusão aos rumores de que Temer seria "satanista"; ainda nesta quinta-feira, serão divulgados os grampos de Michel Temer, que sairá da História pela porta dos fundos. (Brasil 247)

O fim dos farsantes - Temer terá que renunciar ou será cassado. Se não fosse mesquinho já teria renunciado!

A situação de Michel Temer após as gravações de Joesley Batista da JBS, é unânime tanto para seus aliados como para a oposição: diante da hecatombe, só resta ao peemedebista a renúncia ou a cassação pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral); a corte, que julga a cassação da chapa pela qual ele se elegeu, será pressionada a restaurar a “institucionalidade” no país; ato contínuo, a oposição vai fazer carga por eleições diretas; considerando que, antes mesmo do escândalo, o governo Temer só era aprovado por 5% dos brasileiros, sua sobrevivência no cargo é considerada inviável; por todo País, protestos pedindo a saída de Temer do cargo já ganham adesão popular

Aecim, o mineirinho, não é mais senador e a irmã dele, Andrea, já está no xilindró. Vamos em frente que lá vem mais bandido!

Alvo de operação da Polícia Federal nesta manhã, Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), foi presa em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte; a PF também cumpre mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Andrea e Aécio; o senador tucano, um dos principais artífices do golpe parlamentar de 2016, que jogou o país na maior crise da história da República, e que tem o seu nome citado em várias delações premiadas na Lava Jato, foi gravado pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS, pedindo R$ 2 milhões em propina; senador e presidente nacional do PSDB foi afastado do cargo pelo STF e poderá ser preso nos próximos dias

Está ruindo a república de Minas e do Temer-ário. Pegos em flagrante um deverá ser preso, e outro terá que renunciar...Brasilllllllllll


O ex-senador Aécio Neves (PSDB-MG), que foi afastado do mandato nesta madrugada, pode ser preso ainda hoje; isso porque o procurador-geral Rodrigo Janot pediu a prisão de Aécio ao relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin; o ministro decidiu afastar Aécio do mandato e levará o pedido de prisão ao plenário da corte, numa sessão que ocorrer ainda nesta quinta-feira; Aécio liderou o golpe parlamentar que destruiu a economia brasileira, arrasou a imagem internacional do Brasil e deixou milhões de desempregados; na ação controlada da Polícia Federal, ele foi flagrado pedindo propina de R$ 2 milhões em propina à JBS, prometendo, em troca, uma diretoria da Vale; dinheiro foi entregue à família Perrela, dona do Helicoca, um helicóptero apreendido com 500 quilos de cocaína

terça-feira, 16 de maio de 2017

Le Monde analisa o Brasil após um ano do golpe. Recessão e desemprego estão destruindo o País!

Le Monde desta terça-feira, 16, traz uma reportagem de página inteira sobre a situação política do Brasil; em texto de uma página, o jornal diz que Temer "tem dificuldade para impor sua legitimidade"; "Desconfortável, ele foge desse 'povo' que gostava tanto de Lula. Impopular, ele evita as cerimônias públicas, com medo de ser vaiado"; jornal francês diz que um ano após a saída de Dilma do poder, a recessão e o desemprego continuam destruindo o país, enquanto os escândalos de corrupção, que não poupam nenhum partido, provocam um vazio político; "Um espaço deserto que apenas Lula consegue ocupar", apesar das acusações de corrupção que também o atingem, analisa o texto. 

Em despacho Moro reconhece que triplex é da OAS. E agora, Globo?

Reportagem de Carlos Fernandes no Diário do Centro do Mundo destaca trechos do despacho do juiz Sergio Moro em que ela nega, na madrugada dessa segunda-feira 15, pedidos feitos pelos advogados do ex-presidente Lula e pelo Ministério Público Federal, para que se incluíssem depoimentos de novas testemunhas e ainda novos documentos, na ação sobre o triplex no Guarujá; "A ver do juízo, já está bem demonstrado pela Defesa que o referido apartamento foi incluído, em março de 2016, entre os bens de titularidade da OAS na recuperação judicial. Tem o juízo o fato como provado", diz Moro; "Observo que, em princípio, o apartamento em questão encontra-se formalmente em nome da OAS Empreendimento, aparentando ser natural que figure nesse rol da recuperação judicial", acrescenta. (DCM)

Procurado Geral do MP do Trabalho afirma que no governo Lula o País desenvolveu com a mesma legislação trabalhista que Temer quer mudar...

O procurador-geral do Ministério Público do Trabalho, Ronaldo Curado Fleury, atacou duramente a proposta de reforma do trabalho de Michel Temer; além de garantir que o MPT vai se empenhar contra o texto, Fleury destacou como os argumentos do atual governo são falaciosos e que, com Lula, o país se desenvolveu exatamente com a mesma legislação; "Se sou empresa, só vou contratar mais se eu precisar produzir mais. Não pelo baixo custo do trabalho. Há dez anos o Brasil era a sexta economia do mundo. Com qual legislação trabalhista? Essa mesma", afirmou. (Brasil 347)

BRASIL vai ser denunciado de novo na ONU por praticas judiciais ilegais contra Lula

Os advogados responsáveis pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentaram novos dados e documentos ao Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas apontando que as ações contra ele fazem parte de uma perseguição jurídica e que está em curso um processo cujo andamento não atende os pressupostos do estado de direito no país. Nesta semana, o advogado Geoffrey Robertson, responsável pela equipe que atua na defesa do ex-presidente no exterior, deverá denunciar, por meio de uma entrevista coletiva em Genebra, na Suíça, a perseguição sofrida por Lula.Segundo Robertson, Brasil aplica ao caso de Lula sistema judicial da Inquisição Ibérica, que consiste em manter a prática de ser o juiz que instrui e conduz a investigação sobre as atividades de um acusado, para depois ser o mesmo que julga o caso. Segundo ele, isso leva a uma situação em que potencialmente o réu passa a ser condenado de antemão, impedindo que ele seja julgado por um juiz independente.A advogada Valeska Martins afirmou que depois de anos de investigações exaustivas e do arrolamento de quase oito dezenas de testemunhas, sendo 27 de acusação, sequer uma única prova foi obtida contra o ex-presidente. Advogada disse também que a prática das delações premiadas vem sendo implementada de modo irregular, sem que se exija a apresentação prevista em lei de provas por parte dos delatores. (Brasil 247)

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Índios Gamelas - Deputado Aluísio Mendes e sócios conclamam.....via Rádio Maracu!

Vamos agora voltar ao dia 28 de abril, aos índios Gamela e à gravação da Rádio Maracu. Vem a já conhecida fala do deputado Aluísio Mendes. Nela, ele dá a entender que a proteção está garantida, tanto pela polícia – “Estarei amanhã nessa região [...] com a Polícia Federal” – quanto pelo Ministério da Justiça – “Nós temos a grata surpresa de ter um ministro que entende dessa problemática e viveu isso no estado do Paraná”, diz, referindo-se ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio. Por diversas vezes se ouve “dizem que são índios”, “arruaceiros”, “pseudo-índios” e “precisamos acabar com isso”, “não vamos tolerar”. São 41 minutos. Dez deles deixados para a finalização feita por ninguém menos que um dos dirigentes da Rádio Maracu, o Dr. Ezequiel Gomes. Ele começa a sua fala elogiando a fala do deputado federal que o antecedeu: “Eu gostaria, Aluísio, eu gostaria de elogiar a sua participação eu reconheço o seu serviço. Eu não tinha dúvida que você encamparia esta causa. E você além de um grande político é um policial. E você sabe que este é o momento de tentar apaziguar pra não acontecerem coisas.” 
E finaliza conclamando:“Então ninguém pode aceitar isso. Você está na sua casa […] Então nós estamos chegando a um ponto, se você tem um apartamento, se a sua família é composta de quatro pessoas e o teu apartamento tem três quartos, porque tem um quarto vazio a pessoa pode chegar e invadir o quarto que está vazio e dizer que é índio, que é quilombola, que não sei o quê e você fica inerte. A população tem que reagir, tá fazendo o correto e amanhã eu vou estar lá...”. Dois dias depois de este programa ir ao ar ouvimos sobre o brutal ataque a dezenas de indígenas. A dúvida sobre a legitimidade das vítimas se reproduziu mesmo no discurso dos grandes veículos de comunicação. Discurso este que vai de encontro aos mitos que ecoam há muitas décadas, o mesmo discurso que diz “não são índios”, já disse e segue dizendo “não são sem-terras”, “não são trabalhadores”, “não são vítimas”. Esta não é uma história isolada, pelo contrário, ela é um bom exemplo do papel da radiodifusão como instrumento da rede de clientelismo e interesses patrimoniais que liga municípios, estados e federação. É um pequeno retrato que se repete em milhares de emissoras de rádio e televisão que compõem este sistema midiático que temos chamado de coronelismo eletrônico, no qual pouco há de lei que se respeite, de interesse que seja social, de informação que seja plural e independente.
(Suzy dos Santos, professora da ECO/UFRJ, coordenadora do Grupo de Pesquisa em Economia e Políticas da Informação e da Comunicação)

Gamelas - Rádio Maracu de Viana: radiodifusão como arma letal

No dia seguinte ao ataque sofrido pelos indígenas Gamela, em Viana, no Maranhão, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) postou uma gravação da Rádio Maracu que demonstrava claramente a orquestração do ato de violência. O que mais chamou atenção nacionalmente foi a participação do deputado federal Aluísio Guimarães Mendes Filho (PTN-MA), que reproduziu um discurso preconceituoso incitando à violência. Na maioria dos textos publicados a partir do episódio, a fala foi “em entrevista a uma rádio local, o deputado...”. A Rádio Maracu AM pode ser considerada uma rádio qualquer dentro de um espectro de milhares. O grupo Maracu é composto pelas emissoras: Maracu AM/FM, Comunitária Sacoã FM e TV Maracu/Meio Norte. Isto significa 60% da radiodifusão local, dado que o município conta apenas com mais uma rádio FM e uma retransmissora de TV licenciadas. Mas as empresas do grupo não são oficialmente do mesmo dono. São duas razões sociais distintas: a Rádio Maracu Ltda e a Fundação da Integração Cultural Vianense. Oficialmente, segundo os dados do Sistema de Acompanhamento de Controle Societário (Siacco) da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Rádio Maracu Ltda tem os seguintes proprietários: Antônio Pinheiro Gaspar, ex-deputado federal e empresário do ramo farmacêutico; e Ângela das Graças Simões Gaspar, de quem os buscadores na internet nos falam apenas ser sócia de Antônio Pinheiro Gaspar em diversas empresas. Fuçando um pouco mais no site da Maracu AM, descobre-se que o ex-prefeito de Viana, Benito Coelho Filho, arrendou a emissora e a dirige em parceria com Ezequiel Pinheiro Gomes, advogado, ex-vereador, ex-presidente da Câmara de Viana, também segundo o site da emissora. Se buscarmos um pouco mais as informações, com os nomes de Benito Filho e Ezequiel Gomes no Diário Oficial do Maranhão, descobriremos uma rede de associações entre prefeituras, como as de Lago da Pedra, Matinhas, Pedreiras e Presidente Dutra, para as quais os sócios da Rádio Maracu prestaram serviços de consultoria nos últimos 10 anos.
A rede de compadrio é capilarizada e pode ser também observada se buscarmos nos portais de transparência federais pelo dono da Rádio e TV Maracu, Antônio Gaspar. Veremos que ele aluga imóveis com frequência ao governo federal e ao senador Roberto Rocha (PSB-MA), a quem ele ajudou a eleger. Suas empresas farmacêuticas também têm diversos contratos com a máquina pública, retroalimentando a estrutura patrimonial-política (Suzy dos Santos, professora da ECO/UFRJ, coordenadora do Grupo de Pesquisa em Economia e Políticas da Informação e da Comunicação)

LULA X MORO - Alguns pontos altos da 'conversa'

Depois de 5 horas de depoimento, eis alguns trechos dos Melhores Momentos!!!
Moro:"Haverá perguntas difíceis..."
Lula:"Não tem pergunta difícil, doutor. Pra quem fala a verdade, não tem pergunta difícil."
"Moro: o documento tem uma rasura
Lula : quem rasurou?
Moro: não sei....
Lula : então como eu vou saber também?"
Moro: Tem um documento aqui que fala do triplex....
Lula: Tá assinado por quem?
Moro: Hmm... A assinatura tá em Branco...
Lula: Então o senhor pode guardar por gentileza!
"Lula para o Moro: eu só posso responder pelo que fiz ou não fiz, as elocubrações do ministério público eles que respondam."
"Lula para o Moro: eu não ia querer um apartamento pequeno em que não cabem meus 5 filhos, 8 netos e agora uma bisneta."
"- naquela condução coercitiva o senhor disse aos policiais que o senhor iria ser presidente em 2018 e que se lembraria deles, senhor presidente
- jamais disse isto. que me lembraria dos policiais? não. ali eu tinha encerrado minha carreira política, dr. Moro.
mas aproveito para declarar aqui, que devido às circunstâncias do país, EU serei o presidente desta república em 2018."
Moro: "saíram denúncias na folha de São Paulo, e no jornal O Globo de que..."
Lula: "Dr. não me julgue por notícias, mas por provas."
"Lula pro moro: eu sei que o senhor tem mulher e sabe que mulher não fala tudo pra gente, dr moro"
"Lula pro moro: o apartamento era uma bosta, o senhor já procurou alguma casa pra comprar, seu moro?"
"Moro: O sr. Não sabia dos desvios da Petrobras?
Lula: Ninguém sabia dos desvios da Petrobras. Nem eu, nem a imprensa, nem o senhor, nem o ministério público e nem a PF. Só ficamos sabendo quando grampearam o Youssef.
Moro: Mas eu não tinha que saber. Não tenho nada com isso.
Lula: Tem sim. Foi o sr. quem soltou o Youssef."

LULA X MORO - Diálogo final entre um gigante e um 'pequeno' da justiça


MORO -Agora, o senhor tem essas reclamações da imprensa, eu compreendo, mas esse realmente não é o foro próprio pro senhor reclamar contra o tratamento da imprensa. O juiz não tem nenhuma relação com o que a imprensa publica ou não publica e esses processos são públicos.....
LULA — Doutor, o senhor sem querer, talvez, entrou nesse processo. Sabe por quê?, perguntou o interlocutor.
MORO — Hum?
LULA— Porque o vazamento de conversas com a minha mulher e dela com meus filhos foi o senhor que autorizou.
Adiante, olhando para os procuradores, Lula reclamou do baixo nível dos questionamentos.
Lula deixou seus inquisidores nus, incluindo os cúmplices. Colocou-os no banco dos réus, numa inversão de papeis espetacular.
LULA - “Eu espero que essa nação nunca deixe de acreditar na Justiça”, foi seu último apelo.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Ainda o triplex - Trechos do depoimento do Lula à PF

"Quando eu fui a primeira vez [visitar o triplex], eu disse ao Léo [Pinheiro, ex-presidente da OAS] que o prédio era inadequado porque além de ser pequeno, um triplex de 215 metros é um triplex 'Minha Casa, Minha Vida', era pequeno, muito pequeno, os quartos, a escada muito, muito... Eu falei 'Léo, é inadequado para um velho como eu, é inadequado'. O Léo falou: 'Eu vou tentar pensar um projeto pra cá.' Quando a Marisa voltou lá não tinha sido feito nada ainda. Aí eu falei para Marisa: 'Olhe, vou tomar a decisão de não fazer [a compra], eu não quero'. Uma das razões é porque eu cheguei à conclusão que seria inútil para mim um apartamento na praia, eu só poderia frequentar a praia dia de finados, se tivesse chovendo. Então eu tomei a decisão de não ficar com o apartamento."

"Eu acho que eu estou participando do caso mais complicado da história jurídica do Brasil, porque tenho um apartamento que não é meu, eu não paguei, estou querendo receber o dinheiro que eu paguei. Um procurador disse que é meu, a revista Veja diz que é meu, a Folha diz que é meu, a Polícia Federal inventa a história do triplex que foi uma sacanagem homérica. Inventa a história de uma off­shore do Panamá que veio pra cá, que tinha vendido o prédio, toda uma história pra tentar me ligar à Lava Jato, toda uma história pra me ligar à Lava Jato, porque foi essa a história do triplex. Ou seja, aí passado alguns dias descobrem que a empresa off­shore, não era dona do triplex, que dizem que é meu, mas era dono do triplex da Globo, era dono do helicóptero da Globo. Aí desaparece o noticiário da empresa de off­shore. A empresária panamenha é solta rapidamente, nem chegou a esquentar o banco da cadeia já foi solta porque não era dona do Solaris que dizem que é do Lula, ela é dona do Solaris que dizem que é do Roberto Marinho, lá em Parati. E desapareceu do noticiário. E eu fico aqui que nem um babaca respondendo coisas de um procurador, sabe, que não deve estar de boa fé, quando pega a revista Veja a pedido de um Deputado do PSDB do Acre e faz uma denúncia. Então eu não posso me conformar. Como cidadão brasileiro, eu não posso me conformar com esse gesto de leviandade."

"Não, 2009 consta aí, foi o seguinte: quando houve o Termo de Ajuste de Conduta [TAC] entre o Ministério Público e os cooperados, e a Bancoop deixou de mandar boleto, como a gente estava num ano eleitoral - a minha preocupação era eleger a nossa Dilma Roussef presidenta da República - eu estava pouco me lixando para Bancoop." (Sobre o porquê não decidiu, em 2009, se continuaria com a cota parte do empreedimento e pagaria uma diferença à OAS ou se venderia a cota). "Se tem alguém que pode me processar é a OAS, ela falava o seguinte: 'Eu estou tendo prejuízo com o apartamento, você vai pagar.' Agora, eu quero o apartamento agora, alguém vai me dar, ou o Ministério Público vai me dar, ou a Veja vai me dar, ou a Globo vai me dar, mas eu preciso do apartamento agora e quero saber quem vai pagar essa porra desse apartamento. Eu quero saber."

Colunista conservador da Veja detona o juizeco que mandou fechar o Instituto Lula: autoritário e semianalfabeto

O blogueiro neoconservador Reinaldo Azevedo foi na jugular do juiz Ricardo Leite, que, com sua canetada, decidiu fechar o Instituto Lula; "O juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, num impressionante rasgo de autoritarismo e de agressão à ordem legal, resolveu suspender, sem prazo para retomada, as atividades do Instituto Lula. É uma aberração que só atende ao alarido da galera — no caso, de extrema-direita e de extrema burrice. Pior: a decisão do meritíssimo espanca sem piedade a língua portuguesa. As nossas elites, com raras exceções, são semianalfabetas", disse ele; vozes mais esclarecidas da direita já perceberam que a perseguição judicial só fortalece o ex-presidente. 

Pedir o fechamento do Instituto Lula porque lá teriam sido cometidos crimes seria algo bizarro se não fosse perigosamente fascista. Por acaso Sergio Moro pediu o fechamento da Odebrecht ou da OAS, embora tantos crimes, conforme confissão de seus dirigentes, tenham sido cometidos dentro destas empresas, onde funcionavam diretorias destinadas a corromper políticos e providenciais o pagamento de propinas?", questiona a colunista do 247 Tereza Cruvinel; "A decisão do juiz Ricardo Leite, de anunciar hoje sua determinação, foi temerária. Vai elevar a temperatura em Curitiba, em mais um passo para o aprofundamento da divisão do país", afirma

Juizecos partidários e sem moral querem brilhar como a estrela decadente do obscuro 'MORO'!

Foi um acinte o que um juizeco sem moral de Brasília fez ontem. Determinou o fechamento das atividades do Instituto Lula. Engraçado: um dia antes do depoimento do Lula em Curitiba. Pior: o juizeco é objeto de investigação por decisões tomadas no âmbito da Operação Zelotes e, como consequência disso, foi afastado. Em sua determinação de fechar o Instituto Lula, o juiz substituto da 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, Ricardo Augusto Soares Leite, afirmou que a decisão se deu a pedido do MPF (Ministério Público Federal), que apresentou pedidos de outras diligências aceitas pelo juízo; procurado, porém, o MPF nega que o pedido tenha partido de lá; ao contrário do Instituto Lula, o próprio magistrado é denunciado pelo Ministério Público Federal; Ricardo Augusto Soares Leite foi afastado de suas funções na operação Zelotes por suspeitas de atrapalhar as investigações, tomando várias  decisões judiciais  que dificultaram a obtenção de provas contra os fraudadores da Receita. O juizeco não quis ficar atrás da sua colega em Curitiba a juiza politiqueira Diele Zydek e torcedora doente do Moro que tentou proibir as livres e democráticas manifestações das pessoas em apoio a Lula. Sem falar na tentativa de cercear o direito sagrado de 'ir e vir'. A branca juizeca foi derrotada e totalmente desmoralizada ao se descobrir o seu partidarismo...Uma coisa é Lula que exerce a política como profissão, outra é a desses juizecos e procuradores 'imberbes e juvenis' que gostam de bancar os justiceiros engajados. Talvez seja bom lembrar para esses senhores e senhoras que juiz se manifesta única e exclusivamente nos autos.....e que deveriam ser discretos dentro e fora do Fórum, caso contrário que façam como o governador do Maranhão que era juiz federal. Que renunciem ao cargo e que entrem na política institucional e briguem pelo voto. Lamentável!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Mais um delator tenta envolver Lula, mas não consegue apresentar prova alguma. Moro está desesperado às vésperas do depoimento do Lula.

O depoimento de hoje (5/5) do ex-diretor da área de serviços da Petrobras Renato Duque segue o padrão já identificado nas declarações dos novos candidatos a delatores que o antecederam, caso de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e de seu subordinado Agenor Medeiros. Eles citam Lula, falam de encontros e de conversas com o ex-Presidente, mas não têm qualquer prova do que afirmam. Ao dizer que Lula tinha "pleno conhecimento de tudo, tinha o comando", Duque busca por em pé perante o Juízo da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba a falaciosa tese do procurador Deltan Dallagnol explorada no seu famoso power-point e que foi negada por 73 testemunhas já ouvidas sob o compromisso de dizer a verdade. Depoimentos cruzados - e certamente combinados - não substituem provas. Nos três casos, chama a atenção que os advogados dos réus tenham feito questionamentos não para defesa dos clientes, mas com o objetivo de envolver o nome de Lula, inclusive em processos em que ele sequer é parte - caso do depoimento de hoje. O ex-Presidente foi submetido a uma devassa com a quebra de seus sigilos bancário, fiscal e telefônico, além de buscas e apreensões em sua casa e na de seus familiares e nenhum ato ilegal foi identificado. Até mesmo pessoas referidas por Duque, como Pedro Barusco, quando ouvidas com o compromisso de dizer a verdade, negaram a participação de Lula.Foram 24 audiências realizadas só na ação que trata do triplex do Guarujá e nenhuma prova foi produzida contra o ex-Presidente. Não pode ser coincidência que, nos últimos 15 dias, depois de anunciado o adiamento do depoimento de Lula, três pessoas que há muito tentam destravar uma delação para reduzir suas penas e até mesmo sair da cadeia - caso de Pinheiro e Duque - tenham resolvido falar, especialmente considerando que o processo de Duque já estava em fase de alegações finais. Merece repúdio que se aceite negociar futuras vantagens em troca de acusações frívolas, confirmando o caráter ilegítimo das denúncias contra Lula.

Cristiano Zanin Martins

Presidente da FUNAI é exonerado e detona governo e ministro da justiça que acusa ser ministro de parte. Acordou agora, meu chapa?

Antônio Fernandes Toninho Costa, exonerado da presidência da Fundação Nacional do Índio (Funai), fez críticas ao ministro da Justiça do governo Temer, Osmar Serraglio. "Não está sendo ministro da Justiça, porque ele está sendo ministro de uma causa própria.""Tenho um passado limpo e hoje é o dia mais feliz da minha vida. Saio porque sou honesto, não me curvei e não me curvarei para fazer o mal feito", destacou em entrevista à imprensa. A exoneração de Antônio Costa foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (5), em meio a conflitos entre índios da etnia Gamela e fazendeiros, no Maranhão. Ele assumiu o cargo em setembro do ano passado.O órgão indigenista foi criticado recentemente pelo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, por uma lentidão na condução de processos de demarcação de terras indígenas. Na quarta-feira (3), Serraglio cogitou fazer um mutirão para "identificar os processos que estão muito lentos, amarrados e até dificultados".Na oportunidade, o ministro foi questionado sobre uma intenção de demitir o então presidente da Funai. "Nós vivemos em uma coalizão. Nela, se identifica eventuais pessoas de confiança. Nós construímos essa coalizão por meio de uma partilha com os diversos partidos. Assim também ocorre com a Funai. Então não é o ministro da Justiça quem vai decidir em relação ao presidente da Funai. Claro que vai ser o ministro quem vai identificar a proficiência e a qualificação possível. Isso se houver troca de presidente."

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Decisão do STF de conder habeas corpus a Dirceu coloca ponto final nos abusos de Moro

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), criticou o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, pela condução das ações para apurar os ataques  contra índios gamelas, em Viana (MA), e contra indígenas que participaram de protesto no Congresso Nacional, em Brasília; "Serraglio tem sido mais um líder de torcida, porta voz da bancada ruralista no Governo Temer. Não é por acaso que, em 55 dias de seu mandato, ele não teve nenhum encontro com representantes indígenas. É claro que as mãos deles estão sujas com o sangue dos 13 índios do povo Gamela, que foram feridos em um ataque de pistoleiros no Maranhão. Se não agiu com intenção, agiu com omissão", disparou; Humberto também condenou o corte de 38% do orçamento da Funai para este ano. 

Jornalista Reinaldo Azevedo criticou nesta terça-feira, 2, o procurador Deltan Dallagnol e os demais integrantes da força tarefa da Lava Jato por tentarem intimidar os ministros da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal antes do julgamento do habeas corpus que libertou o ex-ministro José Dirceu; "Deltan Dallagnol e seus bravos atuaram nesta terça com o propósito único de intimidar o Supremo. Eles sabem que o tribunal concederá o habeas corpus a José Dirceu. Se duvidar, por 4 a 1, sendo o relator Edson Fachin o único voto divergente. Seguissem todos o que está no artigo 312 do Código de Processo Penal, o placar seria de 5 a zero em favor do HC", diz Reinaldo, em texto publicado antes do resultado final do julgamento, que terminou em 3 a 2 pela liberdade a Dirceu (Brasil247)

terça-feira, 2 de maio de 2017

Ataque covarde e brutal de fazendeiros aos índios Gamelas do Maranhão deixa 13 feridos, alguns graves.

Um grupo de pistoleiros ligados a fazendeiros atacou nesse domingo, 30, índios da etnia gamela por causa de disputa territorial na cidade de Viana, a 214 quilômetros de São Luís (MA). Segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), pelo menos 13 indígenas ficaram feridos, sendo que um teve as mãos golpeadas com facão. Três dos feridos foram levados a um hospital em São Luís. A entidade informou que o gamela Aldeli Ribeiro levou dois tiros na coluna e teve as mãos decepadas. O governo maranhense contestou a informação e disse que houve fratura exposta. Ribeiro passou ontem por cirurgia nos membros. Um irmão dele, José Ribeiro, foi atingido por um projétil no peito. Inaldo Serejo, um líder indígena atuante no Estado, foi baleado no rosto e nas costas. Até a noite de ontem, o estado de saúde dos índios internados era grave.
Em nota, o Cimi disse que dezenas de gamelas deixavam uma área reivindicada pela etnia no povoado de Bahias, interior de Viana, quando foram surpreendidos por homens armados. No momento, ainda segundo o Cimi, uma patrulha da Polícia Militar estava no local, mas não interveio para evitar o ataque. 
Líderes indígenas cobram uma investigação para descobrir a autoria do atentado aos gamela. Elas também exigem do governo do Estado e da Fundação Nacional do Índio (Funai) proteção para as famílias gamelas que moram em aldeias no município maranhense.
O governo do Maranhão afirmou em comunicado que as polícias Civil e Militar atuaram para inibir os “conflitos”. “Ao chegar ao local, os policiais agiram para dissipar o confronto, que resultou na lesão de cinco pessoas (três fazendeiros e dois indígenas), todas socorridas pelos militares”, disse. A nota não informou o nome dos fazendeiros que teriam sido feridos. 
Em nota, o Ministério da Justiça disse, inicialmente, que iria averiguar “o ocorrido envolvendo pequenos agricultores e supostos indígenas no povoado de Bahias”. Depois, em novo texto, deixou de se referir aos “supostos indígenas” para informar que “está averiguando o conflito no povoado” e que “já enviou uma equipe da PF ao local para evitar mais conflitos.”
A Funai informou que vai montar um “comitê de crise” para tratar casos de violência. Área. Cerca de 700 famílias gamelas vivem em área de 530 hectares próxima ao povoado de Bahias. Há três anos, líderes da etnia iniciaram processo para retomar áreas ocupadas por fazendeiros nos anos 1980. A Polícia Civil de Viana registra pelo menos dois outros ataques à etnia. Um em 2015 e outro no ano passado.


sexta-feira, 28 de abril de 2017

O prefeito de São Paulo, coxinha e palhaço, chama os trabalhadores de 'vagabundos' e vai ao palácio de helicóptero

Prefeito de São Paulo, que chamou de "vagabundos" e "preguiçosos" os trabalhadores que acordam às 5h, mas decidem lutar por seus direitos retirados em reformas do governo Temer, disse mais cedo que chegaria para trabalhar sem problemas porque os manifestantes "acordam tarde"; no entanto, o motivo foi outro: ele chegou de helicóptero, enquanto obrigou os servidores da Prefeitura a irem mesmo com a cidade sem ônibus, trens e metrô

BRASIL PAROU


quinta-feira, 27 de abril de 2017

Ainda o TRIPLEX - Presidente da OAS Empreendimentos nega que apartamento era do Lula e contraria o delator Pinheiro. Chega , Moro!

A Lava Jato colheu mais um depoimento de empresário que contraria o testemunho de Léo Pinheiro no caso triplex. Fabio Yonamine, ex-diretor-financeiro e presidente da OAS Empreendimentos, disse em depoimento ao juiz Sergio Moro, na terça (26), que Pinheiro nunca afirmou que Lula tinha um apartamento "reservado" no Condomínio Solaris, no Guarujá. Por outro lado, o executivo admitiu que a reforma no triplex foi feita a pedido de Pinheiro, com o objetivo de "deixar a unidade mais bonita" para venda ao petista.Yonamine disse que recebeu de Pinheiro um pedido para "decorar" o apartamento, para "deixar mais bonito" com o intuito de vender ao ex-presidente Lula. Quem tocou o projeto com detalhes, porém, foi a equipe da OAS Empreendimentos em São Paulo, liderada por Roberto Moreira. Como informou o GGN, Moreira já disse à procuradores da Lava Jato que o triplex não havia sido "destinado" oficialmente a Lula, apesar da personalização da unidade. Segundo Yonamine, o apartamento ficou pronto às vésperas da prisão de Léo Pinheiro na Lava Jato. Por isso, ninguém procurou Lula e dona Marisa Letícia para saber o que o casal pretendia fazer com a unidade. "Nunca fui atrás nem mandei ninguém atrás", comentou.Ainda de acordo com Yonamine, 100% dos recursos empregados na construção e reforma do triplex eram da OAS Empreendimento, e "só têm recursos legais". Todos os pagamentos eram feitos com recebimento de nota fiscal, pagamento de tributos e prestação de contas, informou. Além disso, ao contrário do que suspeita a Lava Jato, a OAS Empreendimentos nunca teve qualquer relação com a Petrobras. Segundo o executivo, o apartamento 164-A era, no seu entendimento, um "estoque" da OAS, "não era uma unidade reservada para Lula". "Não posso dizer se estava à venda ou não", acrescentou. (GGN)

São Luís - Emoções.....e algo mais



LEIA A LISTA DOS DEPUTADOS DO MARANHÃO QUE VENDERAM NOSSOS DIREITOS

Juscelino Filho MA Sim
Junior Marreca MA Sim
Alberto Filho MA Sim
Hildo Rocha MA Sim
João Marcelo Souza MA Sim
André Fufuca MA Sim
Waldir Maranhão MA Sim
Cleber Verde MA Sim
José Reinaldo MA Sim
Victor Mendes MA Sim
Pedro Fernandes MA Sim
Aluisio Mendes MA Sim

Geoffrey Robertson ' O caso Lula deve ser retirado das mãos de Moro. Lula tem direito a julgamento justo'!

Em artigo publicado na Foreign Affairs, principal revista do mundo sobre Relações Internacionais, o advogado Geoffrey Robertson, referência internacional na questão dos direitos humanos, afirma que, com o juiz Sergio Moro, o ex-presidente Lula não terá um julgamento justo; "Até agora, os promotores não encontraram nenhuma evidência que o ligasse aos supostos crimes, mas usaram táticas agressivas, como vazamentos de gravações telefônicas que ele fez para sua família, a fim de constrangê-lo publicamente", destaca; para Robertson, "nesse e noutros aspectos, o caso Lula levantou questões cruciais sobre o sistema judicial brasileiro: especificamente, se ele pode dar a Lula um julgamento justo e proteger os direitos do devido processo daqueles que são acusados de corrupção"; o especialista ressalta ainda que Moro é ao mesmo tempo investigador e julgador, como permite o sistema brasileiro, e que o caso deve ser retirado de suas mãos. 

Ex-presidente quer que seu depoimento ao juiz Sérgio Moro, marcado para o próximo dia 10, seja transmitido ao vivo; é evitar que haja "vazamento seletivo" de sua fala pela mídia, segundo reportagem da revista IstoÉ; o pedido ainda não foi feito oficialmente

Jânio de Freitas da Folha fala em 'ABERRAÇÃO TEMER"! Tarde demais......

O colunista Jânio de Freitas subiu o tom das críticas a Michel Temer e sua administração: "'Governo Temer' é só uma expressão da preguiça mental aliada a defeitos muito piores. Trata-se, na verdade, da aberração Temer. Jamais – portanto nem na venenosa fase de Roberto Campos como ideólogo e artífice da ditadura – este país de desatinos viveu, em tão pouco tempo, um assalto tão violento e extenso a direitos de mais de quatro quintos da sua população e às potencialidades do próprio país", escreveu.

Crise? Não para a chorona VALE!!!!


O lucro da mineradora Vale subiu para 7,891 bilhões de reais no primeiro trimestre de 2017, ante um resultado positivo de 6,311 bilhões no mesmo período de 2016, com a ajuda de uma maior produção de minério de ferro, informou a companhia nesta quinta-feira

Passa a Reforma Trabalhista feita por patrões e aprovada pelos seus patrocinados

Em sessão que começou na manhã de ontem e só foi encerrada às 2h06 desta quinta, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou a reforma trabalhista na madrugada, após a rejeição de dez destaques apresentados pelos partidos de oposição e de partidos da base aliada que pretendiam modificar pontos do projeto (PL 6.786/16), aprovado na noite de ontem (26);Os outros destaques que seriam votados nesta quinta-feira foram retirados e o texto segue para o Senado. Ao fragilizar sindicatos e tornar o empregador o elemento mais forte de uma negociação, projeto da bancada empresarial pretende, na prática, permitir a imposição de acordo, e da lei selvagem do mercado, destaca reportagem da Rede Brasil Atual.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Ighreja católica se mobiliza para denunciar o desmonte dos direitos sociais


Brasil continua matando quem lhe dá feijão e arroz - 61 lavradores foram assassinados em 2016!

Estudo anual "Conflitos no Campo" revela que 61 pessoas foram mortas no ano passado. Na última semana, chacina em Colniza, no Mato Grosso, vitimou mais nove trabalhadores rurais. A chacina de nove trabalhadores rurais ocorrida no último dia 20, na área rural de Colniza (a 1.065 quilômetros da capital, Cuiabá), no Mato Grosso, aconteceu apenas um dia depois da Comissão Pastoral da Terra (CPT) ter divulgado o relatório "Conflitos no Campo - Brasil 2016". Segundo o estudo, 61 pessoas foram mortas em conflitos no campo no ano de 2016, o que equivale a uma média de cinco assassinatos por mês – número inferior, nos últimos 25 anos, apenas a 2003, quando foram registrados 73 assassinatos. Das 61 vítimas, 13 eram indígenas, quatro quilombolas, seis mulheres e 17 jovens de 15 a 29 anos. Essa é a 32ª edição do relatório que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro.Os trabalhadores rurais assassinados em Colniza, todos homens e adultos, foram mortos por disparos de armas de fogo e golpes de facas dados por indivíduos encapuzados, segundo a Polícia Civil de Mato Grosso. “Diante dos últimos acontecimentos no Brasil percebemos que os mecanismos de justiça, de garantia dos direitos e segurança, em quase todas as chacinas, massacres e assassinatos nos conflitos agrários, não são levados a tempo. O que sobra são as injustiças e o sangue dos trabalhadores que jorram a mando ou pelas próprias mãos dos latifundiários e dos barões do agronegócio”, declarou, em nota, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). (GGN)

terça-feira, 25 de abril de 2017

PM de Brasília reprime manifestação pacífica de 3.000 índios




Polícia Militar acaba de reprimir violentamente um protesto pacífico de comunidades indígenas em frente ao Congresso Nacional, em Brasília (DF). Mais de 3 mil índios estão no local para a 14ª edição do Acampamento Terra Livre, mobilização que luta pelos direitos dos povos indígenas e demarcação de terras